Principal assessor econômico de Obama apresenta renúncia

Larry Summers deixará cargo em novembro para retomar carreira acadêmica em Harvard

Efe,

21 de setembro de 2010 | 22h58

WASHINGTON- O diretor do Conselho Nacional Econômico dos Estados Unidos, Lawrence Summers, abandonará seu cargo em novembro para retomar a carreira acadêmica na Universidade de Harvard, informou nesta terça-feira, 21, a Casa Branca em comunicado.

 

De acordo com a declaração, Summers, que também ocupa o cargo de assessor do presidente Barack Obama para Política Econômica, voltará a Harvard após as eleições legislativas de 2 de novembro.

 

"Sempre serei agradecido por, em um momento de grande risco para nosso país, um homem de brilho, experiência e bom julgamento como Larry ter aceitado o pedido para liderar nossa equipe econômica", disse Obama em comunicado.

 

Após a crise dos últimos dois anos, a pior desde os anos 1930, "nos resta muito a fazer para reparar os danos sofridos, mas estamos em um caminho melhor graças, em grande medida, aos sábios conselhos de Larry", acrescentou.

 

Summers disse que sentirá falta de "colaborar com o presidente e sua equipe nos desafios diários da política econômica".

 

"Tenho muita vontade de retornar a Harvard para ensinar e escrever sobre as bases econômicas da criação de emprego e a estabilidade financeira", disse.

 

Summers, que foi secretário do Tesouro durante a Administração de Bill Clinton e ocupava o cargo de reitor de Harvard até seu retorno à Casa Branca no governo Obama, continuará assessorando o presidente de modo informal.

 

O comunicado acrescenta que o ex-secretário do Tesouro continuará também como membro do Painel de Conselheiros Econômicos do presidente, uma entidade independente que se encarrega de aconselhar a Casa Branca sobre os efeitos de sua política econômica.

 

À frente do Conselho Nacional Econômico, Summers supervisionou a coordenação da política econômica no Governo, se encarregou da sessão informativa sobre economia que Obama recebe diariamente e, em muitas ocasiões, foi porta-voz informal para assuntos econômicos da Casa Branca.

 

Ele foi também um dos arquitetos do plano de estímulo econômico que o Congresso aprovou no ano passado, avaliado em US$ 787 bilhões, e liderou a reestruturação da indústria automobilística após a grave crise entre 2008 e 2009.

 

Além disso, exerceu um importante papel nas relações econômicas dos EUA com o resto do mundo, especialmente a China, e nas negociações internacionais sobre a mudança climática.

 

Em seu comunicado, a Casa Branca não mencionou quem poderia ocupar o cargo no lugar de Summers.

 

O substituo à frente do Conselho Nacional Econômico será o primeiro a ser nomeado, no que poderá ser uma reestruturação da administração Obama após as eleições legislativas de novembro.

 

Outra mudança dada como certa é a saída do chefe de Gabinete, Rahm Emanuel, que em breve deve anunciar sua candidatura para a prefeitura de Chicago, e que poderia ser substituído, entre outros nomes, pelo número dois do Conselho de Segurança Nacional, Tom Donilon.

Tudo o que sabemos sobre:
Barack ObamaLarry SummersEUAHarvard

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.