Principal preocupação externa é o petróleo, aponta BC

A alta dos preços do petróleo no mercado externo é a maior preocupação do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central no que tange o cenário internacional. "Seu recrudescimento recente reforça temores de que esses preços possam atingir picos mais elevados do que se contemplava até há pouco como o cenário mais provável, e de que, mesmo depois de uma eventual reversão dessas máximas, se sustentem por mais tempo em um nível acima do que vinha sendo prognosticado", afirmam os diretores do BC na ata da reunião do Copom de agosto, divulgada esta manhã.Ainda assim, o Copom continua trabalhando com a projeção de aumento de 9,5% para os preços da gasolina ao longo de 2004. Um aumento dessa magnitude seria suficiente, segundo análise dos diretores do BC, para "eliminar por completo" a defasagem do preço doméstico da gasolina em relação a um preço internacional do petróleo cru da ordem de US$ 35 por barril.Ao mesmo tempo em que mantém essa projeção, o Copom reconhece que os riscos deste cenário benigno não se concretizar são altos. "Riscos estes que poderiam se materializar em um aumento maior da gasolina em 2004 ou em uma defasagem maior que ficasse por corrigir em 2005", alertam os diretores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.