Privatização da Copel é cancelada oficialmente pelo governo do PR

O governador do Paraná, Jaime Lerner (PFL), cancelou no final de semana o processo de privatização da Copel. A decisão foi tomada em função das mudanças determinadas pelo governo federal nas regras da política energética do país. Segundo Lerner, a principal mudança anunciada pelo governo federal é a que adia por tempo indeterminado a abertura total do mercado para empresas privadas de energia e explicou: "Se isso ocorresse em 2003, como estava previsto no plano original do governo federal, a nossa Copel teria dificuldades para competir com outras empresas privadas no fornecimento de energia elétrica", disse o governador.Lerner explicou que outros aspectos também ajudaram na sua decisão: "Também pesou para o cancelamento de todo o processo as mudanças no cenário internacional, a situação na Argentina e as indefinições nas regras do setor energético brasileiro, que afastam os investidores externos". O governador paranaense afirmou que as contas públicas estão em dia, que o Estado continua cumprindo todos os compromissos e que a folha de pagamento do funcionalismo nunca atrasou, nos últimos sete anos. "Não paramos os investimentos sociais e o programa de recuperação de estradas já começou, com investimentos confirmados de R$ 235 milhões", salientou Lerner.Ele foi enfático ao afirmar que "a não privatização da Copel não paralisa o Estado, apenas reduz a capacidade de aumentar esses investimentos. Mas vamos continuar trabalhando para garantir sempre mais aporte de recursos em Educação, Saúde e Segurança Pública". "Agora, sem a ameaça da competição privada, a Copel poderá continuar trabalhando e produzindo energia para o Paraná e para o Brasil", disse Jaime Lerner.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.