Privatização da EDP ocorrerá só em 2002

O ministro português da Economia, Mário Cristina de Sousa, afirmou que a próxima fase de privatização da EDP não será em 2001. O jornal Diário Econômico afirma que a privatização da empresa ocorrerá em 2002. Em declarações ao site de economia na Internet Canal de Negócios (www.negocios.pt), Sousa diz que não há um calendário para a privatização. Atualmente, o Estado português detém 30% do capital da empresa elétrica portuguesa, que no Brasil controla a Bandeirante, a Enersul e a Excelsa, além de ter uma posição minoritária na Cerj. A questão sobre a privatização da EDP surgiu após a oferta pública de compra que a empresa realizou junto com o banco espanhol CajaAstur sobre a empresa elétrica espanhola Hidrocantábrico. A lei espanhola não permite que empresas públicas estrangeiras tenham mais de 3% do direito de voto em empresas espanholas. O ministro português afirmou ao Canal de Negócios que acredita que a lei deverá ser revogada. O comissário europeu responsável pela concorrência, Mário Monti, já alertou o governo espanhol que a aplicação dessa lei vai contra as normas de União Européia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.