Pro Teste pede recall das sandálias Crocs ao DPDC

A Pro Teste, associação de defesa do consumidor, pediu ao Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), em Brasília, que analise os casos de acidentes ocorridos no exterior com as sandálias Crocs e peça o recall (convocação para reparos) do produto no Brasil.Segundo a entidade, como já houve 65 acidentes registrados no Japão e também em outros países, deveria ser feito o recall como medida preventiva. Não há casos de acidentes registrados no Brasil. "Recall é uma forma de prevenção. Não podemos esperar que aconteça algum acidente no País para que seja feito o recolhimento", diz Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da associação.Nos acidentes ocorridos no Japão, pessoas que utilizavam as sandálias ficaram com os pés presos em escadas e esteiras rolantes. O Ministério da Indústria do Japão solicitou que o fabricante modificasse o desenho do produto para evitar outros acidentes. "Mediante essas situações, achamos que a empresa deveria estudar uma mudança no design do produto imediatamente", diz Maria Inês, ela própria dona de uma Crocs. "O calçado é muito confortável, mas por ser muito aderente ao chão, crianças e idosos talvez não tenham a agilidade necessária para movê-lo em algumas situações específicas." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.