finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Problemas com a Unimed-SP continuam

A Unimed São Paulo - Cooperativa de Trabalho Médico (Unimed-SP) passa por dificuldades financeiras e ainda apresenta diversos problemas ao associado. A assistente de direção da Fundação Procon-SP - órgão de defesa do consumidor vinculado ao governo estadual -, Lúcia Helena Magalhães, destaca que os problemas como negativa de atendimento, de reembolso e não cobertura da rede credenciada.A Unimed-SP realizou uma assembléia extraordinária na última terça-feira para votação de sua manutenção no mercado de assistência médica e hospitalar. O presidente da cooperativa Cid Carvalhaes informou que os cooperados decidiram por unanimidade pela manutenção da Unimed-SP, mas não aprovaram um aporte de capital para saldar as dívidas da antiga diretoria. "Os médicos não acitaram a proposta de desembolsar o aporte de R$ 8.500,00 em 36 parcelas de R$ 295,00", alerta o presidente. Segundo Cid Carvalhaes, a empresa pode tomar decisões mais "amargas" para saldar suas dívidas com seus credores, como, por exemplo, diminuir alguns benefícios dos médicos e diminuir a porcentagem de honorários. A Unimed-SP está sob direção técnica e fiscal da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) desde janeiro deste ano.Cid informa que apesar da empresa passar por dificuldades financeiras e ter uma dívida de R$ 64 milhões, os médicos estão trabalhando corretamente e o atendimento ao consumidor está sendo priorizado. "O associado que tiver o atendimento negado por algum médico cooperado deve entrar em contato conosco. O médico que não atender corretamente sofrerá severas punições", avisa. O presidente da Unimed-SP afirma que tomará atitudes enérgicas contra os profissionais que se negarem a atender os associados. 47 reclamações no Procon-SP só neste anoO Procon-SP recebeu entre janeiro e maio deste ano 47 reclamações de associados da Unimed-SP. As principais queixas são: negativa de atendimento, reembolso e não cobertura da rede credenciada. A assistente de direção do Procon-SP ressalta que os consumidores enfrentam muitas dificuldades em negociar com a empresa. "Eles se mostram irredutíveis e reticentes quanto ao atendimento e reclamações dos consumidores". Das 47 reclamações recebidas pelo Procon, apenas 6 foram avaliadas pela direção da cooperativa.A ANS informou, através de sua assessoria de imprensa, que a cooperativa está sob direção fiscal e técnica e ainda não possui nenhuma informação ou relatório sobre as condições financeiras e administrativas da Unimed-SP.A assistente de direção do Procon-SP aconselha os associados da Unimed-SP que enfrentarem dificuldades para receber atendimento médico-hospitalar da rede credenciada a registrar suas queixas nos órgãos de defesa do consumidor e junto à ANS. "O consumidor deve exigir da cooperativa o atendimento integral de seus médicos e de toda sua rede credenciada", explica Lúcia Helena.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.