Problemas com soja prejudicam números do agronegócio

A quebra na safra e o impasse comercial com a China reduzirá as exportações do complexo soja, disse hoje o chefe do Departamento de Comércio Exterior (Decex) da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Antonio Donizeti Beraldo. Os cálculos iniciais da CNA sinalizavam com exportações de US$ 12 bilhões no complexo soja, mas as previsões atuais estão na casa dos US$ 10,5 bilhões."Com o problema com a China, os preços internacionais recuaram", disse. Entre janeiro e abril, a receita cambial das vendas de soja somou US$ 2,47 bilhões, 35% acima dos resultado de US$ 1,82 bilhão em igual período de 2003.Perspectivas do agronegócioA iniciativa privada também revisou para baixo as estimativas para o saldo da balança comercial do agronegócio. A projeção inicial da CNA apontava saldo de US$ 30 bilhões, contra US$ 25,8 bilhões em 2003. No entanto, a quebra na safra de soja e o impasse comercial com a China levaram a CNA a reduzir a previsão para US$ 28 bilhões. "Mesmo assim, haverá crescimento, mas abaixo do que imaginávamos", disse Beraldo.No acumulado do ano, até abril, o superávit somou US$ 9,09 bilhões, 37,2% acima dos US$ 6,63 bilhões em igual período de 2003. O complexo carnes registrou receitas de US$ 1,679 bilhão com vendas ao exterior entre janeiro e abril, 45,4% a mais que em igual período do ano passado, quando o setor exportou US$ 1,15 bilhão.O setor de madeiras exportou US$ 1,98 bilhão, 18,1% a mais que nos primeiros quatro meses do ano passado. As exportações de açúcar e álcool somaram US$ 766 milhões até abril, 58,6% a mais que o total de US$ 483 milhões registrado em igual período de 2003. Beraldo explica que o aumento das receitas de exportação se deve à combinação do crescimento dos volumes exportados e da elevação dos preços médios pagos pelos principais itens do agronegócio brasileiro.

Agencia Estado,

04 de junho de 2004 | 14h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.