finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Problemas nos EUA continuam prejudicando empresas

Empresa de hipotecas anuncia parada de empréstimos e corte de 1.600 empregos; HSBC fecha escritório

REUTERS

22 de agosto de 2007 | 10h28

O aumento na inadimplência de empréstimos imobiliários nos Estados Unidos continua trazendo conseqüências para empresas e instituições financeiras que operam no país. Nesta quarta-feira, 22, a empresa de hipotecas Accredited Home Lenders Holding, especializada em empréstimos de risco (subprime), anunciou  que parou de receber pedidos de recursos e que vai cortar 1.600 empregos. A companhia citou as turbulências no setor como motivo das decisões.      Veja também:    Os efeitos da crise do setor imobiliário dos EUA   O sobe e desce do dólar   Como enfrentar os riscos e prejuízos da crise   Entenda a crise e veja a opinião do governo e de especialistas   O dia a dia da crise dos mercados                                  A Accredited informou que vai fechar substancialmente todos os seus negócios de empréstimos de varejo e cinco de suas 10 divisões de financiamentos no atacado a partir de 5 de setembro. A companhia vai honrar os atuais compromissos de empréstimos e pretende retomar a oferta de financiamento quando as condições do mercado permitirem.                                  "Estas decisões difíceis foram tomadas a partir da necessidade gerada pela continuada e muito divulgada turbulência nos mercados de hipotecas e finanças. As decisões foram tomadas com um peso no coração", disse o presidente-executivo da empresa, James Konrath, em comunicado.                                  Não ficou imediatamente claro como os cortes afetarão a tentativa da Accredited de salvar sua aquisição pela empresa de investimentos Lone Star Funds, por US$ 400 milhões. A Accredited não retornou imediatamente pedidos de comentários.   HSBC   Além disso, a  unidade norte-americana de hipotecas do HSBC informou, também nesta quarta, que irá fechar um escritório no Estado norte-americano de Indiana. A decisão vai afetar 600 empregos.                                  O HSBC fechará o escritório em Carmel, Indiana, até o final do segundo trimestre de 2008, informou o porta-voz do banco, Michael Trevino. Segundo eles, os funcionários poderão concorrer a outras vagas dentro da instituição financeira.                                  Os problemas no mercado de crédito forçaram o HSBC, maior banco da Europa, a reestruturar suas operações com hipotecas e a reservar de US$ 1,7 bilhão relativos a perdas com empréstimos geradas no primeiro trimestre.                                   Uma prolongada crise no mercado imobiliário norte-americano já resultou no corte de quase 88 mil empregos no setor de serviços financeiros, informou a consultoria Challenger, Gray & Christmas, nesta semana.

Tudo o que sabemos sobre:
CREDITOACCREDITEDREESTRUTURA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.