Procon alerta para riscos na compra de móveis

Comprar móveis novos pode acabar em prejuízo para o consumidor. Isso porque a maioria das lojas não entrega o produto na data estabelecida, as promoções veiculadas em jornais e TV nem sempre são verdadeiras e os produtos entregues freqüentemente possuem defeitos de fabricação. Essas são as principais queixas registradas pelos consumidores na Fundação Procon-SP.A técnica da área de produtos do Procon, Maria Cecília Rodrigues, disse que setor de móveis é o terceiro no ranking de reclamações do ano, só perdendo para telefonia e planos de saúde. De janeiro a setembro deste ano foram realizadas 7.513 consultas e 1.450 reclamações pelos consumidores da Capital. O atraso na entrega ou a não-entrega dos móveis são os problemas mais constantes.Maria Cecília recomenda que antes de comprar um móvel o consumidor analise o espaço disponível em sua casa para os novos produtos. "Se o móvel não couber no espaço disponível em sua casa, o fornecedor não é obrigado a trocar o produto", alerta. Por isso, é importante entrar na loja com as medidas em mãos. O segundo passo é realizar uma boa pesquisa de preço e qualidade. O consumidor deve estar atento às promoções, principalmente neste final de ano, pois existe uma grande variação de preços no mercado. Antes de realizar a compra, o ideal é verificar junto ao Procon-SP no telefone (11) 3824-0446 se empresa já não causou problemas a outros consumidores.Pagamento deve ser vinculado à data de entregaPara evitar problemas e prejuízos na compra de móveis, o consumidor deve vincular o pagamento à data de entrega, segundo a técnica do Procon. "O consumidor deve primeiro receber o produto, verificar as suas condições e depois realizar o pagamento", ensina. Ela diz que o consumidor deve evitar pagar o móvel antes da entrega, para evitar golpes como o da não-entrega.O consumidor deve formalizar em contrato toda negociação com a loja. No contrato deve constar o endereço do estabelecimento, o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), telefone de contato, número do pedido, data de entrega, valor do frete e o valor da montagem. O frete e a montagem só podem ser cobrados mediante aviso antecipado ao consumidor. "Com um contrato em mãos, o consumidor resguarda seus direitos", ressalta a técnica do Procon. Prazo de reclamação é de 90 diasOs móveis são produtos duráveis, por isso, segundo o Código de Defesa do Consumidor (CDC), o prazo para reclamações sobre os defeitos aparentes ou de fácil constatação é de 90 dias. Se o defeito for oculto, como uma porta que empena ou uma cadeira que entorta, o prazo é o mesmo, mas a partir da data de constatação do problema. Seja qual for o defeito, a loja responsável por fornecer o móvel tem 30 dias para resolver o problema, segundo o Procon.Caso o problema não seja resolvido neste prazo, o consumidor pode exigir a troca do produto por outro da mesma espécie, a restituição do dinheiro com correção monetária ou o abatimento proporcional do preço. Maria Cecília diz que se as negociações com a loja falharem, o consumidor deve entrar em contato com os órgão de defesa do consumidor de sua cidade ou no Juizado Especial Cível.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.