Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Procon aponta estabilidade no juro ao consumidor

Pesquisa da Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Governo do Estado de São Paulo, verificou que a taxa média do empréstimo pessoal no início de julho ficou em 5,43% ao mês, ante 5,42% verificado na pesquisa anterior. No cheque especial, a taxa média dos bancos pesquisados foi de 8,29% ao mês, o que significa uma pequena alta de 0,02 ponto porcentual em relação ao mês de junho. O Procon-SP realizou a pesquisa junto a dez instituições financeiras - HSBC, Banespa, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Itaú, Santander, Nossa Caixa, Real e Unibanco -, nos dias 4 e 5 de julho. No empréstimo pessoal, as altas verificadas foram: Banco Itaú (de 5,85% para 5,95% ao mês); e Bradesco (de 5,83% para 5,87% ao mês). A única queda constatada no HSBC, que alterou sua taxa de 5,16% para 5,12% ao mês. No cheque especial, as altas verificadas foram: HSBC (de 8,37% para 8,47% ao mês); Banespa e Santander (de 8,35% para 8,40% ao mês). Nenhuma queda foi constatada na taxa de juros do cheque especial.De acordo com técnicos do Procon, a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de manter a Selic, a taxa básica de juros da economia, em sua reunião do mês passado, já pode ter repercutido no comportamento das taxas de juros da maioria dos bancos. Na reunião de junho, o Copom interrompeu a série de nove meses de alta dos juros básicos da economia, mantendo a taxa Selic em 19,75% ao ano.

Agencia Estado,

14 de julho de 2005 | 14h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.