Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Procon aponta estabilidade no juro do cheque especial

As taxas de juros de cheque especial e empréstimo pessoal ficaram praticamente estáveis em setembro, segundo levantamento divulgado hoje pela Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo.A pesquisa, realizada nos dias 1º, 2 e 3 deste mês em dez instituições financeiras, mostra que a taxa média para cheque especial permaneceu em 7,99% ao mês e que a de empréstimo pessoal apresentou leve declínio de 0,02 ponto porcentual, para 5,14% ao mês. As taxas anuais equivalentes são de 151,50% e 82,56%, respectivamente.Em setembro, a maior taxa de cheque especial foi cobrada pelos bancos Itaú e Real (8,25% ao mês) e a menor foi verificada na Caixa Econômica Federal (7,30% ao mês). A taxa mais elevada no empréstimo pessoal também ficou por conta dos bancos Real e Itaú (5,70% ao mês), enquanto que a Nossa Caixa estipulou a taxa mais baixa (4,10% ao mês).No mês em análise, o Banespa foi a única instituição a modificar, de 5,78% ao mês para 5,60% ao mês, a taxa no empréstimo pessoal. A alteração representou um decréscimo de 0,18 ponto porcentual e uma variação negativa de 3,11% em relação à taxa de agosto. Quanto às taxas do cheque especial, nenhuma instituição promoveu mudança.Dados da pesquisaEm virtude da possibilidade de variação da taxa do empréstimo pessoal pelo prazo do contrato, o Procon-SP estipulou o período de 12 meses como base, já que todos os bancos pesquisados trabalham com este prazo. Os dados coletados referem-se a taxas máximas prefixadas para clientes não preferenciais, sendo que, para o cheque especial, foi considerado o período de 30 dias.De acordo com os técnicos do Procon-SP, o resultado da pesquisa mensal demonstra a cautela com que o mercado está interpretando os rumos da política monetária e "não há perspectiva de redução" em um curto espaço de tempo. "O consumidor deve ficar atento e não ceder aos impulsos, principalmente diante das facilidades oferecidas pelosbancos, como créditos pré-aprovados e aumentos do limite de cheque especial", alerta o órgão.Os bancos pesquisados pelo Procon-SP foram o HSBC, Banespa, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Itaú, Santander, Nossa Caixa, Real e Unibanco. Apesar da compra do Banespa pelo Santander, a análise das taxas destes bancos continua sendo feita de maneira separada, em virtude de ainda existirem agências que conservam a marca Banespa.

Agencia Estado,

20 de setembro de 2004 | 12h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.