Procon aponta tendência de alta para juros e cheque especial

As taxas de juros de cheque especial e empréstimo pessoal para pessoa física ficaram praticamente estáveis em novembro, mas apresentaram tendência de alta, conforme pesquisa mensal divulgada nesta quarta-feira pela Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo. No levantamento, realizado entre os dias 8 e 9 deste mês com dez instituições financeiras, a taxa média para cheque especial permaneceu em 7,99% ao mês e a de empréstimo pessoal apresentou aumento de 0,06 ponto porcentual, para 5,25% ao mês. As taxas equivalentes ao ano são de 151,65% e 84,76%, respectivamente.Segundo o Procon-SP, o aumento foi pouco expressivo mas sinaliza uma inversão de trajetória, já que este é o segundo mês consecutivo de variação positiva da taxa média do empréstimo pessoal, após um período de 15 meses ininterruptos - de julho de 2003 a setembro de 2004 - com variações negativas, e que a taxa do cheque especial também vinha decrescendo desde maio de 2003, com alguns períodos de estabilização.Para o Procon-SP, os recentes aumentos de juros promovidos pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central trazem a necessidade de o consumidor realizar maior planejamento dos gastos, especialmente se estes estiverem atrelados a empréstimos e financiamentos. "Nesta época do ano, as instituições credoras abrem muitas possibilidades de negociação para o pagamento de débitos pendentes. Convém que o consumidor priorize o pagamento de suas dívidas, antes de ceder aos apelos de consumo", aconselha o órgão. O Procon-SP destaca que, em virtude da possibilidade de variação da taxa do empréstimo pessoal pelo prazo do contrato, foi estipulado o período de 12 meses como base, já que todos os bancos pesquisados trabalham com este prazo. Os dados coletados referem-se a taxas máximas prefixadas para clientes não preferenciais, sendo que, para o cheque especial, foi considerado o período de 30 dias. Em novembro, os bancos pesquisados foram o HSBC, Banespa, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Itaú, Santander, Nossa Caixa, Real e Unibanco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.