Procon: cesta básica subiu 1,95% na semana

Na terceira semana de setembro, o valor da cesta básica teve alta de 1,95%, revela pesquisa diária da Fundação Procon-SP - órgão de defesa do consumidor ligado ao governo do Estado -, em convênio com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese). O preço médio, que no dia 12 era de R$ 166,86; passou para R$ 170,12 no dia 19.Por grupo, foram constatadas as seguintes variações: alimentação, 1,57%; limpeza, -1,85%; e higiene pessoal, 7,86%; ficando a variação acumulada, em setembro, em 0,56% e nos últimos 30 dias, em 2,48%. No ano, a cesta variou 7,53% e nos últimos 12 meses, 13,22%.Neste período, os produtos que mais subiram foram: papel higiênico fino branco (21,85%); batata (14,29%); biscoito maizena (8,75%); macarrão com ovos (6,14%); água sanitária cândida (3,57%). As maiores quedas foram: sabão em pó (-6,03%); sabonete (-5,41%); desodorante spray (-4,62%); carne de primeira (-3,10); alho (-2,61%).Dos 31 produtos pesquisados, na variação semanal, 21 apresentaram alta, oito diminuíram de preço e dois permaneceram estáveis. Os produtos que mais pressionaram a alta no período, considerando os respectivos pesos na cesta, foram, na ordem: papel higiênico fino branco (1,06%); batata (0,26%); carne de segunda (0,17%); macarrão com ovos (0,17%); biscoito maizena (0,17%).Na quarta-feira, a cesta básica do paulistano atingiu o maior valor desde o início do Plano Real. De acordo com a pesquisa, o preço médio da cesta básica chegou a R$ 170,39.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.