Procon: cuidados com alimentos no verão

Técnicos da Fundação Procon-SP, órgão de defesa do consumidor ligado ao governo estadual, orientam os consumidores sobre os cuidados para evitar problemas com alimentos no verão. Nesta época do ano, o consumidor deve estar atento aos procedimentos extras com relação à embalagem, estocagem, conservação e consumo de alguns alimentos.Na compra de produtos que necessitem de refrigeração, o consumidor deve verificar a temperatura dos balcões, que deve ser de até 10 graus centígrados para produtos refrigerados e até -18 graus centígrados para os congelados. Se o termômetro não estiver visível, observe se há uma nuvem de frio por cima dos alimentos. Se houver presença de poças d´água e embalagens transpiradas, há a possibilidade de as geladeiras terem sido desligadas.Os técnicos do Procon-SP aconselham o consumidor a evitar comprar alimentos de balcões superlotados, pois a temperatura não será uniforme para todos os produtos. Os estabelecimentos que comercializam sucos de frutas para consumo imediato devem mantê-los sob refrigeração uma vez que, por serem naturais, se deterioram com facilidade. Na embalagem dessas bebidas devem constar a data de extração e o prazo de validade.Refrigerantes e cervejasAo comprar refrigerantes e cervejas, o consumidor deve observar se as garrafas não apresentam vazamentos e se as tampas e lacres não foram violados. As garrafas de vidro exigem armazenamento específico: devem estar em boas condições e de pé para evitar atritos que possam causar estouros e vazamentos e não podem estar expostas ao sol ou próximas a fonte de calor., segundo o Procon-SP.Os alimentos em geral não podem ser estocados próximos a produtos de limpeza, inseticidas e perfumaria, de acordo com os técnicos do Procon-SP. O consumidor deve preferir as frutas e verduras de época conservando-as em local limpo, seco e fresco para que durem mais tempo. Quando refrigeradas, devem ficar na gaveta inferior da geladeira, em sacos plásticos perfurados ou fechados e mantidas a uma temperatura em torno de seis graus centígrados, pois o ar gelado pode queimá-las. Segundo os técnicos do Procon-SP, o verão não combina com alimentos muito gordurosos como: carne de porco, chocolate e amendoim , por serem de difícil digestão. Outra dica é para não comprar raspadinhas, sorvetes e refrescos de origem desconhecida, pois não há como saber qual a procedência da água e dos componentes utilizados.Água mineralOs técnicos do Procon-SP alertam o consumidor com relação à compra de água mineral. Ao adquirir água mineral o consumidor deve começar prestando atenção ao local onde a embalagem está colocada e não comprar as que estiverem próximas a lugares aquecidos ou expostas ao sol, pois o calor propicia o crescimento de algas que modificam a coloração da água, para amarelo e verde, tornando-a imprópria ao consumo. O consumidor deve ficar alerta quanto à data de validade e integridade da embalagem. A compra de água de ambulantes em semáforos, ruas, parques e pedágios deve ser evitada pois, além de estar sob os raios solares, a maioria não possui rótulo e lacre, levando a crer que não passou por análise e inspeção do órgão fiscalizador competente, segundo o Procon-SP.RotulagemOs técnicos da Fundação Procon-SP alertam ainda para que, antes de adquirir qualquer alimento, o consumidor deve ler com atenção sua rotulagem. De acordo com o Código de Defesa do Consumidor (CDC), nela devem constar informações claras e precisas, em língua portuguesa, sobre a quantidade, composição, preço, data de fabricação e validade, origem e identificação do fabricante ou importador, entre outros. Quando se tratar de água mineral deve trazer ainda dados do distribuidor, assim como identificação da fonte, número de registro no Ministério da Saúde e data de embalagem.

Agencia Estado,

21 de janeiro de 2002 | 13h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.