Procon destaca que diferença de tarifas pode chegar a 522%

A tarifa paga pelos correntistas dos bancos para a manutenção do cartão magnético pode variar até 522,22% de uma instituição para outra, conforme apurou a Fundação Procon por meio de um levantamento feito entre os dias 8 e 9 deste mês envolvendo 12 bancos. Para este serviço, o Banco HSBC, segundo o estudo do Procon, cobra de seus clientes uma taxa de R$ 84,00. É a maior taxa descontada do correntista. Na outra mão, o banco que cobra a menor taxa para o mesmo serviço é BBV Banco, que renova o a validade do cartão por R$ 13,50.O Procon, durante o levantamento, analisou as tarifas cobradas para um total de 41 produtos e serviços e comparou os preços de 20 deles. Segundo os técnicos da Fundação Procon, houve também aumentos de tarifas em relação à pesquisa realizada nos dias 6 e 7 de março deste ano. O Bradesco, por exemplo, elevou em 50% o preço cobrado pela manutenção de conta corrente inativa, de R$ 10,00 para R$ 15,00."Constatamos também aumento de algumas tarifas superiores a 100% em apenas seis meses. Percebemos que houve criação de novas tarifas", afirma o diretor da Fundação Procon em São Paulo, Gustavo Marrone. Ele sugere que o consumidor fique atento a essas mudanças e defina seu banco de acordo com suas reais necessidades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.