Procon: dicas para o Dia da Criança

De acordo com os técnicos da fundação Procon-SP, as lojas devem oferecerr amostras de jogos, revistas, discos, fitas e brinquedos sem lacre para que o consumidor possa examiná-los antes da compra. Depois da escolha, é recomendado pedir ao vendedor para abrir a embalagem, certificando-se de que o produto não está danificado. Exigir sempre a nota fiscal referente à compra também é essencial, pois, havendo algum problema com o produto, a garantia só terá validade juntamente com a mesma. Em caso de defeito, o consumidor deve procurar a loja ou a assistência técnica indicada pelo fabricante. O Código de Defesa do Consumidor dá ao consumidor o direito a três meses de garantia pelo produto adquirido no caso de vício aparente e de fácil constatação.Compras pela InternetSe a compra for efetuada mediante oferta fora do estabelecimento comercial, por telefone, catálogo, Internet ou reembolso postal, o consumidor pode desistir da transação no prazo de sete dias corridos a contar da assinatura do contrato ou do recebimento da mercadoria. Nestes casos, o cancelamento deve ser feito por escrito, com comprovante protocolado.Tratando-se de aquisição em feira, bazar e shopping de descontos (outlets), o consumidor não pode deixar de exigir a nota fiscal ou algum documento onde constem o nome, o endereço, o telefone e o CGC do fornecedor. Sem esses dados fica difícil identificar o responsável, se for necessário.Brinquedos em promoção ou saldos devem ser cuidadosamente observados, pois, nesses casos, nem sempre a loja possui estoque para troca. Deve-se perguntar ao vendedor se há a possibilidade de troca se a criança receber um brinquedo que já possua. Se a resposta for positiva, é bom pedir que esse compromisso conste por escrito na nota fiscal. Em caso de dúvidas ou reclamações, procure a Fundação Procon-SP. Para obter informações sobre alguma loja, fornecedor ou fabricante, consulte o cadastro da Fundação pelo telefone 3824.0446.

Agencia Estado,

10 de outubro de 2000 | 18h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.