Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Procon divulga 'lista suja' de lojas para consumidor evitar na Black Friday

Arquivo tem 518 lojas virtuais; entre as principais queixas dos compradores estão atraso na entrega do produto e fretes com preço elevado

O Estado de S.Paulo

14 de novembro de 2017 | 20h55

A Black Friday, um dos dias mais aguardados pelo varejo nacional, acontecerá na sexta-feira, 24, e o Procon-SP divulgou a "lista suja" com as lojas que devem ser evitadas pelo consumidor. No total, são 518 estabelecimentos. A lista foi atualizada no dia 10 de novembro. 

Há reclamações diversas que ficam como alerta aos consumidores: desde fretes muito caros até atraso nas entregas, além de produtos danificados ou que divergem do anunciado. Segundo o Procon-SP, a partir do levantamento, a instituição procura evitar que a população seja lesada e o tão sonhado desconto acabe se transformando em pesadelo.

++ Supermercados lotam na Black Friday da crise

++ Maquiagem de preço é o risco da Black Friday

Todas as lojas da lista foram notificadas sobre os problemas e, mesmo assim, não ofereceram solução aos casos ou não foram encontradas.

Para acessar a lista, basta clicar neste link.

Tudo o que sabemos sobre:
Black Friday

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.