carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Procon orienta nas compras de Natal financiadas

As lojas e shopping centers já iniciaram sua campanha para venda de presentes de Natal. Muitos comerciantes oferecem aos consumidores uma série de facilidade no pagamento. Para evitar o endividamento com compras financiadas, os técnicos da Fundação Procon-SP, órgão de defesa do consumidor ligado ao governo estadual, dão algumas dicas para o comportamento do consumidor em compras financiadas.Muitos consumidores já estão fazendo suas compras utilizando as várias formas de financiamento oferecidas pelo mercado, inclusive contando com o 13º salário. De acordo com o Procon-SP, antes de adquirir qualquer produto, o consumidor deve se habituar a fazer pesquisa de preços. Os técnicos do órgão recomendam a programação para efetuar a compra à vista, possibilitando o saudável ato de pechinchar. Contudo a compra a prazo ainda é uma opção para grande parte da população. De acordo com o Procon-SP, os juros não estão tabelados e variam de financeira para financeira, por isso o consumidor deve informar-se antes sobre as taxas praticadas por elas. Os técnicos do órgão avisam que o consumidor tem direito de saber antecipadamente o valor à vista em moeda corrente, os juros de mora e taxa efetiva anual de juros e o valor final da mercadoria após a aplicação das taxas, mediante o número de prestações escolhidas.ContratoO Procon-SP alerta que o consumidor deve se certificar que o valor das parcelas seja compatível com seu orçamento. O consumidor não deve esquecer, segundo o Procon-SP, de ler com atenção o contrato onde, devem constar os dados pessoais do comprador; nome, endereço, telefone e registro da loja ou financeira; data de vencimento, valor e número de parcelas; encargos por atraso no pagamento ( a multa não pode passar de 2%, de acordo com o Código de Defesa do Consumidor); taxa de juros e valor dos impostos. O consumidor deve ficar atento também ao carnê emitido, segundo os técnico do Procon-SP. De acordo com o órgão, o carnê deve estar de acordo com o contrato e os dados pessoais do consumidor corretos.O atraso ou não recebimento do carnê ou boleto bancário não isenta o consumidor do pagamento ou de multa e juros, avisa o Procon-SP.Evite usar cheque especial e cartão de créditoO consumidor deve evitar usar o limite do cheque especial pois, segundo pesquisa de juros bancários efetuada pela Fundação Procon-SP em 13 bancos, nos dias 7 e 8 de novembro, a taxa média era de 8,86% ao mês (veja o link abaixo). Se a compra for efetuada por meio de cartão de crédito, fique atento para a utilização do pagamento rotativo, uma vez que os juros utilizados neste meio de crédito, estão acima das taxas máximas mensais detectadas na pesquisa do Procon-SP. De acordo com a pesquisa realizada no mês outubro pela Agência Estado, a taxa média do crédito rotativo é de 9,75% ao mês.Em caso de dúvidas e reclamações, o consumidor pode procurar a Fundação Procon-SP, que atende pelo telefone 1512 ou nos postos de atendimento pessoal dentro do Poupatempo Sé, Poupatempo Santo Amaro e Poupatempo Itaquera.

Agencia Estado,

25 de novembro de 2002 | 11h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.