Procon orienta sobre financiamentos

Na contratação de um financiamento para qualquer bem móvel, é fundamental que o consumidor entenda o que diz o contrato. Esta é uma recomendação considerada básica pela Fundação Procon-SP, que orienta sobre alguns cuidados a serem tomados nestes casos. De janeiro a setembro deste ano a Fundação atendeu 4.750 consultas com dúvidas ou reclamações contra financeiras. Para entender um contrato, muitas vezes não basta ler todos os itens com atenção. Alguns deles podem não apresentar clareza suficiente para o entendimento, enquanto outros são redigidos com caracteres muito pequenos, dificultando a leitura. Por isso, o consumidor não deve ter vergonha de esclarecer todas as dúvidas.O cliente também tem o direito de solicitar a minuta do contrato para analisá-lo com mais atenção em casa, antes de assiná-lo. Todo contrato de financiamento deve trazer claramente informações relativas a tudo o que será cobrado, ou seja: taxas de abertura de crédito; taxas de juros; impostos, valor das prestações, encargos que incidirão em caso de atraso do pagamento e o valor final do financiamento.É importante lembrar que os juros não são tabelados, razão pela qual o consumidor deve fazer uma pesquisa para saber qual a instituição financeira que oferece as melhores taxas e condições de financiamento. Não deve esquecer, porém, que as taxas de juros são comparadas mais facilmente se o prazo for o mesmo. Em caso de atraso ou falta de pagamento, e se a cobrança for extra-judicial, a instituição financeira não poderá imputar ao consumidor as despesas com serviços de cobrança, mas apenas os encargos previstos em lei e estipulados em contrato. O consumidor não deve esquecer, porém, que, no caso de financiamento com bem alienado ele não poderá vendê-lo até que tenha saldado a dívida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.