Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Procon recomenda cuidados com bufê

Festa é sinônimo de comemorações, alegria, farra e muita diversão. Isso pode não se tornar realidade caso o bufê contratado não cumpra os serviços devidamente. O Procon-SP, órgão de defesa do consumidor ligado ao governo estadual, alerta sobre detalhes importantes na hora da contratação de um bufê ou de um agenciador de festa.Primeiramente, deve-se definir qual o tipo de festa desejado, com escolha do cardápio, do horário da recepção e do números de convidados. A partir daí, deve-se fazer uma pesquisa de preços e vantagens, como facilidades de pagamento, promoções, segurança e espaço útil.Em festas infantis verifique também a faixa etária para a qual se destinam os brinquedos e se existem profissionais especializados em cuidar de crianças. Veja ainda se o espaço físico é adequado para a presença de crianças, ou se contém ambientes perigosos, como escadas.O segundo passo é observar se o bufê conta com algum tipo de pacote que inclua, além dos serviços básicos, filmagem em vídeo, fotografias, sonorização, palhaços, bebidas especiais, entre outros. Não deixe de pesquisar e escolher entre o que fica mais barato: contratar um pacote ou os serviços em separado. Peça orçamento e faça contrato escritoUm detalhe importante: peça um orçamento completo sobre o que foi oferecido e o que foi combinado. Se tiver oportunidade, o consumidor deve participar de uma festa organizada pelo bufê, para ter uma idéia do serviço, qualidade dos alimentos e do funcionamento geral do estabelecimento contratado.Uma boa opção, antes de fechar negócio, é verificar as informações de quem já utilizou os serviços do bufê. A dica é consultar o cadastro do Procon, para saber se existe reclamação ou denúncia contra a empresa escolhida. Ao definir todos os detalhes, exija um contrato por escrito com todos os serviços contratados, relacionados por tópicos. O contrato deve obter a identificação da empresa, com nome e assinatura do responsável. Não aceite contrato verbal, pois se houver alguma falha nos serviços, não será possível reclamar.E lembre-se: se a empresa não cumprir com o combinado, o consumidor, de acordo com o Código de Defesa do Consumidor, poderá solicitar o abatimento proporcional do preço e eventuais indenizações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.