Procon-RJ: empresas declaram melhora no serviço

O Procon-RJ, órgão de defesa do consumidor, fez um levantamento baseado nas queixas dos usuários em 1999 e 2000. A pesquisa englobou 25 setores e apontou as duas empresas mais criticadas pelos usuários nessas áreas. A Telemar e a Credicard mantiveram em 2000 a mesma posição de 1999, líder e vice-líder respectivamente das queixas. Outra empresa apontada como vilã foi a Companhia de Eletricidade do Rio de Janeiro. TelemarA Telemar, em nota à imprensa, informou que o número de queixas contra a empresa diminuiu em 30% em 2000, se comparado a 1999. De acordo com os números divulgados pelo Procon-RJ as reclamações caíram em 25% (ler matéria principal). Na nota, a empresa afirma que o porcentual de reclamações não foi menor em função da média mensal de 1.500 queixas no primeiro trimestre de 2000. Segundo a Telemar, a média mensal de reclamações diminuiu para 500 no período de outubro a dezembro. No comunicado, a empresa informa também que aumentou em 50% o número de linhas instaladas para os clientes no mesmo período. Quanto aos supostos erros das cobranças de interurbanos, a Telemar informou que as reclamações referiam-se ao telessexo. Por isso, a empresa interceptou as ligações para São Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau e Moldávia, principais destinos desse tipo de chamadas. Embratel A Embratel, também em comunicado à imprensa, nega que não esteja à disposição dos órgãos de defesa do consumidor. Essa foi uma das queixas do Procon-RJ. A empresa informou também que criou um canal 0800 exclusivo para comunicação da Embratel e dos Procons. Quanto à argumentação do Procon-RJ sobre o aumento de 3.100% das queixas em 2000, na comparação com o ano anterior - primeira vez que a Embratel lidava com o consumidor -, a empresa afirma que enviou mala direta a seus clientes para esclarecer todas as formas de pagamento.Cerj A Companhia de Eletricidade do Rio de Janeiro (Cerj), em comunicado à imprensa, informa que "um porcentual bastante significativo" das reclamações sobre cobranças indevidas nas contas é verificado pela empresa e pelo Procon. De acordo com a Cerj, a maioria é improcedente.CredicardA pesquisa do Procon-RJ indicou que houve um aumento de 12% de queixas dos usuários, em 2000, na comparação com o ano passado. A principal queixa é a negociação da dívida. A Credicard informou que a contabilização do Procon-RJ não leva em conta que 90% das reclamações são resolvidas já no primeiro contato entre o órgão e a empresa. De acordo com o diretor de relações corporativas da empresa, Marcelo Alonso, as 3.170 ligações feitas ao Procon-RJ são consideradas um número pequeno se comparado aos 7 milhões de usuários da Credicard e dos 30 milhões de telefonemas recebidos pela empresa nesse ano. "Do total de ligações, 90% são de clientes que querem informações. E parte dos telefonemas é para negociar a dívida. No primeiro telefonema é feito o encaminhamento", diz. Alonso informou também que é um hábito o usuário da Credicard quando quer renegociar a dívida ligar antes para o Procon.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.