Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Procon-SP aponta diferença de até 369,57% em tarifas bancárias

A Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, realizou entre os dias 02 e 04 de março, pesquisa sobre tarifas bancárias em dez instituições financeiras: HSBC, Banespa, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Itaú, Santander, Banco Nossa Caixa, Banco Real e Unibanco. Em comparação com a pesquisa anterior, realizada em setembro de 2003, o Procon-SP constatou um aumento significativo nos preços cobrados pelos produtos e serviços oferecidos pelos bancos.Entre os 10 bancos escolhidos, 40 produtos e serviços foram analisados, sendo que 20 tiveram seus preços comparados. A maior diferença constatada foi de 369,57%, correspondente à emissão (abertura) e reemissão (perda/roubo/quebra) do cartão magnético da conta corrente especial. Nos bancos que cobram por este serviço, a maior tarifa encontrada foi de R$ 10,80, no Itaú, enquanto a menor foi de R$ 2,30, no Santander. Vale ressaltar que o Banco do Brasil e o Unibanco não cobram tarifa pela emissão (abertura). Se confrontados com a inflação do período da última pesquisa realizada (em setembro de 2003), que foi de 3,97%, segundo o INPC, a médias dos 20 produtos/serviços confrontados apresentaram aumento de 11,73%.O Procon-SP também analisou a evolução das cobranças bancárias de 1996 a 2004. Constatou, por exemplo, que 67% dos bancos cobravam pela renovação do cadastro de pessoa física, para contas correntes especiais, no ano de 1996. Em 2004, esse percentual já chega a 90%.

Agencia Estado,

28 de abril de 2004 | 17h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.