Procon-SP: dicas ao comprar eletroeletrônicos

A compra de eletrodomésticos e eletroeletrônicos requer alguns cuidados que merecem atenção dos consumidores para evitar futuros problemas e dores de cabeça. Em virtude disso, a Fundação Procon-SP, órgão de defesa do consumidor ligado ao governo estadual, lista uma série de dicas para quem deseja comprar esses equipamentos. Só neste ano, de janeiro a novembro, 3.660 pessoas procuraram o órgão com dúvidas ou problemas referentes à aquisição de eletrodomésticos e 2.975 no tocante a eletroeletrônicos. Antes de comprar, o consumidor deve fazer uma criteriosa pesquisa de preços, modelos e condições de pagamento. O mercado oferece grande variedade, por isso é bom ficar alerta ao que seja mais conveniente às suas necessidades e condições financeiras. Os técnicos do Procon orientam ainda, para que o consumidor verifique a situação da empresa no cadastro de informações pelo telefone 3824.0446.Gasto de energiaAlguns produtos estão trazendo informações quanto ao gasto de energia. Em tempos de racionamento de energia elétrica, está é uma característica que pode ser valiosa na hora da compra. É aconselhável verificar a voltagem do aparelho (110V ou 220V) de acordo com a tensão da residência antes da aquisição do produto. O consumidor deve informar-se com o vendedor sobre os recursos do aparelho para avaliar a real necessidade de adquirir itens mais sofisticados e, consequentemente, mais caros. No caso de dúvidas, ele deve solicitar uma demonstração sobre o manuseio e utilidades da mercadoria.Exija a nota fiscalA exigência da nota fiscal é fundamental. Nela deve constar o valor do aparelho, condições de pagamento, data de entrega e instalação, quando for o caso. Se a compra for com entrega em domicílio, o consumidor deve informar-se se há cobrança de frete e, ao receber o produto, ele deve verificar se está tudo em ordem. Só depois ele deve assinar o documento de entrega. Constatando problemas, ele deve devolver a mercadoria no ato e discriminar o porquê no verso do comprovante de entrega.O consumidor deve guardar a nota fiscal referente à compra, pois na falta dela não há como acionar a assistência técnica e, também, se houver necessidade, dificultará a reclamação junto aos órgãos de defesa do consumidor. O manual de instruções, contendo informações claras, precisas, em língua portuguesa e com ilustrações, deverá acompanhar o aparelho, assim como uma relação dos endereços das assistências técnicas autorizadas.PagamentoO consumidor deve ficar atento às condições de pagamento. Se for por crediário, ele deve preencher cuidadosamente o contrato com seus dados pessoais, não deixando nenhum espaço em branco. É fundamental a leitura de todas as cláusulas do mesmo. Se o carnê não chegar em tempo do vencimento, deve-se efetuar a quitação do valor na loja mediante recibo. O atraso ou não recebimento do carnê ou boleto bancário não isenta o consumidor do pagamento ou de multa e juros. Ao optar por comprar com cheque pré-datado, o consumidor deve pedir para que sejam colocadas as datas de vencimento na nota fiscal. O consumidor deve fazer os cheques nominais à loja.DefeitosO consumidor tem direito a garantia legal de 90 dias, independente de termo expresso, para defeitos de fácil constatação. Caso a mercadoria apresente vícios ou se a assistência técnica não conseguir resolvê-los, no prazo de 30 dias, o consumidor tem direito à substituição do produto por outro da mesma espécie, a restituição imediata da quantia paga, monetariamente atualizada, ou o abatimento proporcional do preço.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.