Procon-SP divulga lista com mais de 200 sites que devem ser evitados pelo consumidor

 Além do endereço eletrônico das empresas em ordem alfabética, a lista possui a razão social e o número do  CNPJ ou CPF

Yolanda Fordelone, de O Estado de S. Paulo,

28 de novembro de 2012 | 13h04

 Na hora de comprar pela internet, atenção: alguns sites devem ser evitados. Uma lista de sites não recomendados foi divulgada na manhã desta quarta-feira, 28, pela Fundação Procon-SP. Além do endereço eletrônico das empresas em ordem alfabética, a lista possui a razão social e o número do  CNPJ ou CPF. Também relata se o site encontra-se "fora do ar" ou "no ar".

A lista completa está disponível no site www.procon.sp.gov.br/pdf/acs_sitenaorecomendados.pdf

O Procon-SP informou que recebeu reclamações desses sites por irregularidades na prática de comércio eletrônico. As principais queixas são falta de entrega do produto adquirido pelo consumidor e de resposta para a solução do problema.

O leitor Marcelo Fernandes se identificou no problema. Ele relatou na rede social Facebook que entre os spams que recebe muitos fazem referência a alguns desses sites.

De acordo com o diretor executivo do Procon-SP, Paulo Arthur Góes, esses fornecedores virtuais não são localizados, inclusive no rastreamento feito no banco de dados de órgãos como Junta Comercial, Receita Federal e Registro BR, responsável pelo registro de domínios no Brasil,  o que inviabiliza a solução do problema apresentado pelo consumidor.

Góes classificou como preocupante a proliferação de sites mal- intencionados, que em alguns casos continuam no ar lesando o consumidor. "Denunciamos os casos ao Departamento de Polícia e Proteção a Pessoa (DPPC) e ao Comitê Gestor da Internet (CGI), que controla o registro de domínios no Brasil, mas, o mais importante é que o consumidor consulte essa lista, antes de fechar uma compra pela internet, para evitar o prejuízo".

O Procon-SP mantém em seu site o "Guia de Comércio Eletrônico", com dicas e cuidados que o consumidor deve ter ao comprar produtos ou contratar serviços pela internet.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.