Procon-SP recebeu neste ano 5,7 mil queixas sobre telefonia celular

As operadoras Claro e Tim, com 1.984 e 1.385 reclamações, lideram o ranking

Wladimir D'Andrade, da Agência Estado,

19 de junho de 2012 | 14h45

Texto atualizado às  17h34

SÃO PAULO - A Fundação Procon-SP já recebeu neste ano 5.713 reclamações ou pedidos de orientação ao consumidor sobre problemas com empresas de telefonia celular. Os maiores alvos de reclamações são as operadoras Claro e TIM, com, respectivamente, 1.984 e 1.385 queixas registradas desde janeiro. Oi (996), Vivo (842) e Nextel (506) são as empresas que completam o ranking da fundação, que listou as reclamações realizadas por consumidores de janeiro a 14 de junho.

Os principais problemas relatados dizem respeito a cobranças indevidas, como alteração de planos pré para pós-pago sem a autorização do consumidor e cobrança de pacote de dados e serviços não solicitados, além de dificuldades em fazer o cancelamento. Também são motivos para queixas o funcionamento precário do serviço de telefonia, falhas de conexão, queda de sinal frequente e velocidade dos serviços de internet abaixo da contratada.

Para o diretor executivo do Procon-SP, Paulo Arthur Góes, o grande problema ainda é a ineficiência do sistema de atendimento ao consumidor (SAC) das companhias.

"As empresas precisam investir mais no atendimento ao consumidor de forma efetiva, dando solução aos problemas de forma fácil e rápida", afirma, em nota distribuída à imprensa.

De acordo com ele, dos casos levados ao Procon-SP, 85% são resolvidos na fase preliminar do processo, quando a fundação procura as empresas reclamadas.

Empresas respondem

A operadora Claro informa que tem trabalhado para a melhoria contínua da qualidade de seus serviços. Em nota enviada à imprensa, a Claro diz que se coloca à disposição para atender a todos os casos por seus canais de atendimento e relacionamento disponíveis.

A TIM afirma, em nota, que também trabalha para reduzir o número de reclamações. "A empresa vem desenvolvendo ações preventivas, inclusive junto aos órgãos de defesa do consumidor, para reduzir as demandas dos clientes", diz o texto.

A Vivo sustenta que faz investimentos constantes para manter a qualidade dos serviços. "Os resultados desses esforços podem ser mensurados pelo IDA (Índice de Desempenho de Atendimento) da Anatel, no qual a Vivo aparece com a melhor colocação entre as operadoras com atuação nacional em 37 dos 38 meses pesquisados pelo órgão regulador", diz a nota distribuída à imprensa.

A Nextel, quinta colocada no ranking, afirma que "vem redobrando seus esforços e ampliando seus investimentos em treinamentos, processos e contratações dos canais de atendimento ao cliente".

A assessoria de imprensa da Oi disse que a empresa não vai comentar o ranking do Procon-SP.

Tudo o que sabemos sobre:
ProconCelularReclamaçãoQueixa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.