Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Procura por títulos surpreende Tesouro

Na véspera da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) sobre a taxa de juros, o Tesouro Nacional conseguiu ser bem-sucedido nesta terça-feira na venda de 4 milhões de Letras Financeiras do Tesouro (LFTs), títulos pós-fixados corrigidos pela taxa Selic. Em entrevista à Agência Estado, o secretário-adjunto do Tesouro, Rubens Sardenberg, disse que a procura dos investidores pelas LFTs no leilão de hoje ficou em cerca de R$ 12,7 bilhões, ou 9,1 milhões de títulos, mais do que o dobro da oferta de 4 milhões de papéis.Para o secretário, o valor da venda e a demanda pelos títulos do Tesouro são um sinal importante de redução do risco de rolagem dos papéis. Os recursos obtidos com a venda reforçam também o caixa do Tesouro que será deixado para o próximo governo.Em valor financeiro, a venda de 4 milhões de LFTs somou cerca de R$ 6 bilhões, segundo Sardenberg. "Foi uma demanda bastante expressiva, acima do que estávamos esperando" disse ele, que destacou como importante o fato de a demanda ter sido forte inclusive nos papéis mais longos, com prazo de vencimento em 18 de junho do ano que vem. O Tesouro acabou vendendo, em papéis com este vencimento, mais do que 50% do lote total ofertado. Na avaliação do secretário, o aumento da procura por títulos públicos reflete a melhoria geral do mercado e está em linha com a redução do dólar e do risco país e com a melhora da Bolsa de Valores de São Paulo. Na direção oposta, ressalvou Sardenberg, estão os juros. Segundo ele, essa situação reflete muito mais uma expectativa de aumento da inflação no curto prazo do que uma resposta de desconfiança em relação à economia. Assim que esta expectativa de inflação maior seja reduzida, os juros vão recuar, acredita o secretário. "Isso está muito mais relacionado à questão do dólar", disse Sardenberg, observando que, com o dólar em queda, essa expectativa de inflação tende a diminuir e os juros tendem a seguir o mesmo caminho no mercado.Na avaliação de Sardenberg, passadas as eleições, o governo eleito vem sinalizando na direção que se esperava e o mercado vem retomando a normalidade. Nas três semanas de novembro, o Tesouro já vendeu 13 milhões de títulos, o equivalente a cerca de R$ 18,2 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.