Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Produção agrícola em 2001/2002 deve diminuir 1,3%

O IBGE divulgou hoje que a produção agrícola na safra 2001/2002 deve apresentar redução de 1,3%, em relação ao período anterior, segundo estimativas de outubro. A pesquisa mostra que o volume colhido deve alcançar 97,266 milhões de toneladas, ante 98,544 milhões de toneladas na safra 2000/2001. O levantamento de outubro do IBGE prevê queda de 0,58% na previsão de safra 2001/2002, em comparação com o levantamento de setembro. A revisão foi motivada especialmente por uma redução de 400 mil toneladas, ou cerca de 12%, na estimativa para a produção de trigo, que foi prejudicado por problemas climáticos nos principais Estados produtores da região Sul do País e em Mato Grosso do Sul. Segundo o IBGE, a safra de trigo este ano deverá alcançar 3,203 milhões de toneladas, praticamente o mesmo volume colhido no ano passado (3,260 milhões de t). Segundo o IBGE, esses números deverão apresentar poucas variações daqui para frente, já que o quadro da produção de grãos está praticamente definido na safra 2002. Soja A soja será mais uma vez a "vedete" da safra agrícola do País no próximo ano, segundo destacou o chefe do departamento de agropecuária do IBGE, Carlos Alberto Lauria. O produto, que vem apresentando sucessivos ganhos de produtividade, contará com aumento de área de 5,7% na safra 2003 ante a anterior (que havia apresentado elevação de 17,12%). Segundo Lauria, esse aumento na safra é o principal responsável pelas reduções previstas na área do milho 1ª Safra (-0,57%) e do algodão herbáceo (-0,84%). A expansão na área da soja está sendo provocada pelos bons preços do produto, de forte liquidez no mercado."O produtor busca lucro na hora de decidir qual produto plantar", lembrou Lauria. A área da soja na próxima safra deverá atingir 16,9 milhões de hectares. Segundo Lauria, a expansão da área é um sinal de aumento da produção da soja, cuja estimativa só será divulgada pelo IBGE em janeiro do próximo ano. Entre os maiores Estados produtores, os destaques de crescimento na área ficarão com Goiás (10,89%), Minas Gerais (8,04%), Rio Grande do Sul (5,96%), Paraná (5,84%) e São Paulo (3,61%). O milho 1ª Safra, por outro lado, terá redução de área porque, segundo Lauria, apresenta preços menos atrativos do que a soja.ArrozA área plantada do arroz na safra 2003 deverá crescer 0,30% na região Sul, que responde por 50% da produção nacional, segundo projeções divulgadas hoje pelo IBGE. A pequena expansão, entretanto, não será suficiente para reverter uma queda de 0,16% na área total do produto na safra. A queda será provocada especialmente pelas redução na área a plantar no centro-oeste (-1,91%). O feijão 1ª safra também registrará decréscimo de 0,16% na área plantada na safra 2003. As quedas vão ocorrer especialmente no Mato Grosso do Sul (-46,37%), Santa Catarina (-8,32%) e em São Paulo (-7,98%). Carlos Alberto Lauria, disse que apesar da pequena queda na área de plantio de arroz e feijão, a produção deverá estar nivelada às necessidades de consumo do País. "O produtor responde à demanda, se ela aumentar, cresce o plantio", disse.Algodão herbáceoA área plantada do algodão herbáceo só terá crescimento na Bahia (16%) na safra 2003. Segundo o primeiro prognóstico da safra realizado em outubro e divulgado hoje pelo IBGE, a queda total na área plantada dessa cultura terá redução de 0,84% na safra 2003 ante a anterior, passando de 686 mil hectares para 680 mil hectares. Haverá redução na área de plantio do produto em Minas Gerais (-3,09%), São Paulo (-3,92%), Paraná (-18,77%) e Goiás (-7,9%). De acordo com Carlos Alberto Lauria, o principal motivo da redução da área do algodão é a migração para o plantio da soja, produto que tem alcançado melhores preços de comercialização. O levantamento divulgado hoje pelo IBGE abrange nove produtos. Segundo Lauria, a estimativa de produção da safra 2003 será divulgada em janeiro do próximo ano. Resultado de 2001O IBGE divulgou hoje os dados fechados da produção agrícola do País em 2001, incluindo pecuária, extração vegetal e silvicultura. A conclusão é que a soja foi o produto que apresentou os melhores resultados no ano, liderando tanto em valor quanto em área plantada, além de atingir o segundo lugar nacional em termos de quantidade produzida. No que diz respeito ao valor de produção, a soja foi seguida da cana-de-açúcar e do milho, que também se destacaram nesse indicador, segundo a pesquisa do IBGE. Quanto à quantidade produzida, a liderança ficou com o milho em 2001, enquanto na área plantada as lavouras mais cultivadas foram a soja e o milho. Centro-Oeste lidera pecuáriaA pesquisa de pecuária revelou que o Centro-Oeste manteve a liderança na atividade em 2001. A região é favorecida pelo relevo, com extensas áreas planas, e pela predominância de campos na vegetação. O rebanho bovino nacional atingia em 2001, segundo a pesquisa, 176,38 milhões de cabeças. Desse total, 61,78 milhões de cabeças estavam no Centro-Oeste. A região Sudeste foi a segunda em termos de participação, com 37,11 milhões de cabeças. A pesquisa revela também que, no que diz respeito à produção leiteira, a produção do País em 2001 atingiu 20,5 trilhões de litros. A maior participação nacional ficou com a região Sudeste, com a maior produção entre os Estados atingindo 5,98 trilhões de litros.

Agencia Estado,

28 de novembro de 2002 | 12h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.