Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Produção de álcool crescerá 30% em Minas

A produção de álcool na safra 2006/2007 em Minas Gerais aumentará 30% em relação à safra passada, para 1,25 bilhão de litros. Os dados foram divulgados nesta terça-feira pelo Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool de Minas Gerais (Siamig/Sindaçúcar-MG). A entidade atribuiu o crescimento à entrada em operação de duas novas usinas no Triângulo Mineiro ainda este ano: Santa Juliana, do grupo Crystalsev, de São Paulo, e Itapagipe, do grupo Triunfo, de Alagoas. Além disso, grande parte das 25 usinas filiadas ao sindicato também expandiram a produção. De acordo com o sindicato, a produção de cana-de-açúcar deve crescer 16% para 28,8 milhões de toneladas, na safra 2006/07, com destaque para o Triângulo Mineiro - que contribui com quase 70% da produção total. A produção de açúcar terá uma alta de 9,9% para 1,91 milhão de toneladas.Com a antecipação da moagem de cana-de-açúcar para abril, todas as usinas de álcool no Estado já estão em plena produção, o que contribuiu para o aumento do volume produzido e a redução do preço do álcool combustível. No início de março, o litro nas usinas estava sendo vendido a R$ 1,24, e na semana passada, o produto chegou a ser vendido por R$ 0,83 - uma queda de 33%. O sindicato aponta, porém, que o mesmo não ocorreu com o preço na bomba. No mês de março, o álcool estava na faixa de R$ 2,15 para o consumidor, enquanto na semana passada custava R$ 1,98, queda de somente 7,7%.Minas Gerais teve um crescimento médio de 11,3% por ano na produção de cana-de-açúcar, nos últimos 10 anos, enquanto na região Centro-Sul (Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul) a taxa de crescimento ficou em torno 5%, no mesmo período. No País, o crescimento anual médio é de 3,3%.

Agencia Estado,

23 de maio de 2006 | 11h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.