Produção de celulose no Brasil sobe 2,6% em março

A produção de celulose no Brasil voltou a registrar no mês passado ligeiro crescimento em relação ao mesmo mês de 2010, mas avançou de forma mais expressiva na comparação com fevereiro.

REUTERS

27 de abril de 2011 | 13h47

Segundo dados divulgados nesta quarta-feira pela Associação Brasileira de Celulose de Papel (Bracelpa), em março foram produzidas 1,265 milhão de toneladas de celulose, alta de 2,6 por cento em relação a março de 2010 e de 12,7 por cento ante fevereiro.

Deste total, 1,093 milhão de toneladas foram equivalentes a celulose de fibra curta, produzida a partir do eucalipto no Brasil.

Em fevereiro, a produção havia avançado 1,5 por cento na comparação anual.

No acumulado do primeiro trimestre do ano, a produção foi de 3,596 milhões de toneladas do insumo, volume 1,4 por cento superior aos primeiros três meses do ano passado.

As exportações de celulose, por sua vez, recuaram 9,8 por cento no mês passado ante março de 2010, mas cresceram 13,2 por cento em relação a fevereiro. No trimestre, a alta foi de 1,1 por cento, para 2,18 milhões de toneladas.

O volume exportado pelas empresas brasileiras, tanto em março quanto no acumulado do ano, corresponde a celulose de fibra curta.

"O crescimento da receita de exportação de celulose no primeiro trimestre deste ano foi de 9,3 por cento em relação ao mesmo período do ano passado, totalizando 1,2 bilhão de dólares", disse a Bracelpa, em nota.

De janeiro a março de 2011, foram exportados 515 milhões de dólares em celulose para a Europa, que se mantém como principal destino do insumo brasileiro. A China se mantém na segunda colocação, com 338 milhões de dólares.

PAPEL

No mês passado, o Brasil produziu, de acordo com a Bracelpa, 823 mil toneladas de papel, o que representa queda de 1,3 por cento ante março de 2010, mas avanço de 3,9 por cento em relação a fevereiro.

Deste total, 400 mil toneladas corresponderam a papéis para embalagens e 232 mil toneladas a papéis para imprimir e escrever.

No acumulado do ano, a produção cresceu apenas 0,5 por cento ante o primeiro trimestre de 2010, chegando a 2,434 milhões de toneladas.

"As vendas domésticas permaneceram estáveis em relação aos três primeiros meses de 2010", afirmou a Bracelpa. O recuo registrado foi de 0,6 por cento, para 426 mil toneladas.

As exportações de papel recuaram 13,6 por cento no mês passado ante o mesmo período do ano anterior e subiram 13,1 por cento sobre fevereiro, para 190 mil toneladas. No ano, foram exportadas 530 mil toneladas, queda de 5,4 por cento.

A América Latina continua, isoladamente, a ser o principal destino do papel brasileiro exportado, tendo respondido por 306 milhões de dólares no ano até agora. A segunda posição é da Europa, com 97 milhões de dólares.

(Por Carolina Marcondes)

Tudo o que sabemos sobre:
PAPELBRACELPAATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.