Produção de embalagens cresce 11,32% em agosto

A produção de embalagem no País apresentou crescimento de 11,32% em agosto, em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo dados divulgados hoje pela Associação Brasileira de Embalagem (Abre), uma taxa significativa como esta não se verificava desde fevereiro de 2000, quando o aumento de 11,76% e foi atribuído ao calendário influenciado pelo carnaval. De acordo com a Abre, o setor sofreu retração nos primeiros meses de 2004, mas o volume de produção acumulado já mostra sinais de melhora. Em julho, apresentava queda de 2,48%. Em agosto, o resultado ainda é negativo, mas o número é de 0,86%.Das cinco classes de embalagem que compõem o indicador calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), com base em dados primários do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), quatro registraram crescimento. A taxa mais expressiva foi a da madeira com 30,12%.Como reação, o destaque fica para o segmento das embalagens metálicas que, após acumular queda de 7,45% entre janeiro e julho, teve aumento de 17,59% no mês de agosto. A família de embalagens de papel e papelão registrou novo crescimento, desta vez de 15,04%. Já as embalagens plásticas, tiveram elevação de 6,54%.Quanto ao emprego, em agosto o setor totalizou 156.977 postos diretos e formais de trabalho. No mesmo mês, houve aumento líquido de 1.743 postos de trabalho. Entre janeiro e agosto, foram criadas 10.028 novas vagas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.