Produção de gás natural caiu 1,39% em junho

A produção de gás natural no País caiu para 49,077 milhões de metros cúbicos diários em junho, conforme dados divulgados nesta quinta-feira pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biodiesel (ANP). Isso significa redução de 1,39% em relação a maio e de 1,93% em relação a junho de 2005. O total efetivamente disponível para o mercado interno, descontando-se a queima, reinjeção e consumo próprio da Petrobras, também registrou queda em junho, situando-se em 26,596 milhões de metros cúbicos, o que é 1,25% inferior a maio e praticamente igual ao registrado em junho de 2005 (aumento de 0,06% no intervalo de 12 meses). EstabilizadaApesar da ampliação na produção de petróleo, a produção de gás natural tem se mantido estabilizada há quase dois anos. Os técnicos da Petrobras explicam que a exploração de gás no Brasil ocorre de forma associada à produção de óleo bruto, mas nem sempre é possível aproveitar o gás com a instalação de novas plataformas de produção. Para isso, teriam de ser construídas novas instalações, especialmente gasodutos, o que exige investimentos, além de contratos prévios de longo prazo. Por isso, nem sempre a produção dos dois combustíveis caminha no mesmo ritmo. Pelos dados da ANP, a Petrobras queimou o equivalente a 6,608 milhões de metros cúbicos de gás natural em junho, com queda de 0,74% em relação ao observado em maio e 28,01% abaixo do registrado em junho de 2005. Esse volume seria suficiente para abastecer toda a frota de veículos movidos a GNV no País, estimada em 1 milhão de automóveis. Em meados do ano passado, a queima de gás atingiu recorde, 10,1 milhões de metros cúbicos em maio de 2005. Desde então, o desperdício foi reduzido, caindo para 4 milhões no final do ano passado/início deste ano, quando voltou a subir, atingindo 6,657 milhões em maio, o mais elevado este ano. Além da queima, a Petrobras reinjetou o equivalente a 8,662 milhões de metros cúbicos de gás natural em junho. Isso ocorre principalmente no campo de Urucu, no Amazonas, por falta de gasodutos para o aproveitamento do combustível. No início do ano a Petrobras assinou contrato com o grupo Eletrobras e a previsão é concluir a construção do gasoduto das térmicas da Eletrobras por volta de 2008/2009. O consumo próprio da Petrobras, especialmente nas plataformas e refinarias, somou 7,212 milhões de metros cúbicos em junho. Em relação a maio esse patamar indica queda de 2,65%, mas está 12,45% superior ao observado em junho de 2005.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.