Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Produção de minério de ferro da Vale foi recorde em 2010

Volume somou mais de 307 milhões de toneladas, alta de 24,9% em relação a 2009 

Chiara Quintão, da Agência Estado,

25 de fevereiro de 2011 | 08h53

A produção de minério de ferro da Vale foi recorde em 2010, com 307,795 milhões de toneladas métricas. O volume supera em 24,9% o total produzido em 2009 e em 1,5% a marca histórica anterior, de 303 milhões de toneladas, alcançada em 2007. A Vale também produziu o volume recorde de 48,993 milhões de toneladas de pelotas no ano passado. Conforme a companhia, a produção de Carajás (PA) também foi recorde, com 101 milhões de toneladas. No quarto trimestre, a Vale produziu 80,262 milhões de toneladas de minério, 26,5% acima do mesmo período de 2009, mas 2,8% menor que no terceiro trimestre.

No início do ano, as chuvas no Brasil resultaram em perdas de 600 mil toneladas métricas de minério da Vale - 200 mil toneladas no Sistema Sul e 400 mil toneladas no Sistema Sudeste. No relatório de produção, a companhia informou que esses volumes "estão dentro do padrão sazonal para o primeiro trimestre" e representam "parcela insignificante" da meta de produção de 311 milhões de toneladas métricas para 2011.

A Vale também registrou recordes na produção de bauxita, com 14,332 milhões de toneladas e de carvão, de 6,893 milhões de toneladas, no ano passado, com crescimento de 15% e 27,1%, respectivamente. No quarto trimestre, a produção de carvão somou 1,75 milhão de toneladas, sendo 770 mil toneladas de carvão metalúrgico e 976 mil toneladas de carvão térmico. Neste início de ano, a Vale registrou perdas de 500 mil toneladas métricas em Queensland, na Austrália, volume relevante, segundo a mineradora, "dada a escala ainda pequena de operações australianas da Vale".

Em níquel, segunda principal área de atuação da Vale, a produção somou 179 mil toneladas em 2010, 4,3% abaixo do mesmo período de 2009. As operações de níquel da companhia no Canadá - Sudbury e Voisey Bay - foram prejudicadas pela greve, que começou no terceiro trimestre de 2009. A companhia ressalta que, apesar da interrupção, conseguiu "manter as operações em andamento, embora em baixos níveis de utilização de capacidade instalada".

A produção de níquel refinado começou a aumentar no terceiro trimestre do ano passado, com o fim da greve em Sudbury. Conforme a Vale, no último trimestre, a produção correspondeu ao nível anualizado de 260 mil toneladas métricas, "nível de operação quase normalizado". "A mineração e o processamento de Voiseys Bay vêm operando a plena capacidade há algum tempo, com foco na alimentação às refinarias de Clydach e Thompson", informou a companhia, em relatório.

Tudo o que sabemos sobre:
valeminério de ferroprodução

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.