Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Produção de minério de ferro da Vale foi recorde em 2010

Volume somou mais de 307 milhões de toneladas, alta de 24,9% em relação a 2009 

Chiara Quintão, da Agência Estado,

25 de fevereiro de 2011 | 08h53

A produção de minério de ferro da Vale foi recorde em 2010, com 307,795 milhões de toneladas métricas. O volume supera em 24,9% o total produzido em 2009 e em 1,5% a marca histórica anterior, de 303 milhões de toneladas, alcançada em 2007. A Vale também produziu o volume recorde de 48,993 milhões de toneladas de pelotas no ano passado. Conforme a companhia, a produção de Carajás (PA) também foi recorde, com 101 milhões de toneladas. No quarto trimestre, a Vale produziu 80,262 milhões de toneladas de minério, 26,5% acima do mesmo período de 2009, mas 2,8% menor que no terceiro trimestre.

No início do ano, as chuvas no Brasil resultaram em perdas de 600 mil toneladas métricas de minério da Vale - 200 mil toneladas no Sistema Sul e 400 mil toneladas no Sistema Sudeste. No relatório de produção, a companhia informou que esses volumes "estão dentro do padrão sazonal para o primeiro trimestre" e representam "parcela insignificante" da meta de produção de 311 milhões de toneladas métricas para 2011.

A Vale também registrou recordes na produção de bauxita, com 14,332 milhões de toneladas e de carvão, de 6,893 milhões de toneladas, no ano passado, com crescimento de 15% e 27,1%, respectivamente. No quarto trimestre, a produção de carvão somou 1,75 milhão de toneladas, sendo 770 mil toneladas de carvão metalúrgico e 976 mil toneladas de carvão térmico. Neste início de ano, a Vale registrou perdas de 500 mil toneladas métricas em Queensland, na Austrália, volume relevante, segundo a mineradora, "dada a escala ainda pequena de operações australianas da Vale".

Em níquel, segunda principal área de atuação da Vale, a produção somou 179 mil toneladas em 2010, 4,3% abaixo do mesmo período de 2009. As operações de níquel da companhia no Canadá - Sudbury e Voisey Bay - foram prejudicadas pela greve, que começou no terceiro trimestre de 2009. A companhia ressalta que, apesar da interrupção, conseguiu "manter as operações em andamento, embora em baixos níveis de utilização de capacidade instalada".

A produção de níquel refinado começou a aumentar no terceiro trimestre do ano passado, com o fim da greve em Sudbury. Conforme a Vale, no último trimestre, a produção correspondeu ao nível anualizado de 260 mil toneladas métricas, "nível de operação quase normalizado". "A mineração e o processamento de Voiseys Bay vêm operando a plena capacidade há algum tempo, com foco na alimentação às refinarias de Clydach e Thompson", informou a companhia, em relatório.

Tudo o que sabemos sobre:
valeminério de ferroprodução

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.