Produção de petróleo não deve ser cortada; preço dispara

O presidente da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), Sheikh Ahmed Fahad Al Sabah, afirmou hoje que o grupo não deve cortar sua produção no próximo encontro em março. "Até o momento, nós não temos de cortar. Os preços estão muito altos e temos de respeitar o preço e cooperar com outros pela estabilidade do mercado petrolífero", afirmou o ministro do petróleo do Kuwait, Al Sabah.Al Sabah afirmou que se a demanda por petróleo da China e de outros países asiáticos continuar no segundo trimestre, a sobreoferta do grupo pode atender à demanda. "Tudo sinaliza que a demanda deve seguir boa no segundo trimestre", afirmou. "Mas nós vamos monitorar o que acontece", disse. Apesar das declarações, os preços disparam. Os contratos futuros do petróleo estão em alta forte nos Estados Unidos, diante de preocupações com a capacidade de oferta, combinadas a indicações de queda ainda maior nas temperaturas no Hemisfério Norte. O contrato de abril do petróleo cru superou US$ 50,00 o barril, chegando a US$ 50,65 na máxima.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.