Fotos Públicas
Fotos Públicas

Produção industrial cai 1,8% em setembro ante agosto, terceiro recuo consecutivo

Nos três meses consecutivos de perdas, indústria acumula queda de 2,7%

Daniela Amorim, O Estado de S.Paulo

01 Novembro 2018 | 09h16

A produção industrial caiu 1,8% em setembro ante agosto, na série com ajuste sazonal, divulgou nesta quinta-feira, 1º, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado foi o pior desempenho para o período desde 2015, quando a indústria encolheu 2,2%. No mês anterior, a indústria vinha de uma queda de 0,7% ante julho. Em julho ante junho, o recuo foi de 0,2%. Nos três meses consecutivos de perdas, a indústria acumulou uma queda de 2,7%.

Essa frequência de meses com resultados negativos não acontecia desde o fim de 2015, observou André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do IBGE. "E deixa claro essa redução de ritmo da produção", afirmou Macedo.

A queda de 1,8% de setembro ante agosto foi bem maior que a mediana das projeções, que indicavam uma variação negativa de 0,90%. Ainda assim, o resultado veio dentro das expectativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam desde uma queda de 2,80% até uma alta de 0,60%.

Em relação a setembro de 2017, a produção caiu 2%. Esse recuo foi também bem maior que a mediana das estimativas, que apontavam uma queda de 0,70%. Nessa comparação, sem ajuste, as estimativas variavam de um recuo de 2,20% a 2,90%.

No ano, a indústria teve alta de 1,9%. No acumulado em 12 meses, a produção da indústria registra avanço de 2,7%.

O IBGE ainda revisou o crescimento da produção industrial em agosto ante julho, de -0,3% para -0,7%. A taxa de julho ante junho saiu de -0,1% para -0,2%.


 

 

 

Produção de bens de capital também recua

A produção da indústria de bens de capital teve queda de 1,3% em setembro ante agosto. Na comparação com setembro de 2017, o indicador mostrou avanço de 3,9%. Os dados fazem parte da Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física (PIM-PF). No ano, houve crescimento de 8,5% na produção de bens de capital. No acumulado em 12 meses, a taxa ficou positiva em 9,2%.

Em relação aos bens de consumo, a pesquisa registrou redução de 1,5% na passagem de agosto para setembro. Na comparação com setembro de 2017, houve queda de 2,0%. No ano, a produção de bens de consumo subiu 2,4%. No acumulado em 12 meses, o avanço foi de 3,2%.

Na categoria de bens de consumo duráveis, o mês de setembro foi de recuo de 5,5% ante agosto. Em relação a setembro de 2017, houve redução de 4,5%. Entre os semiduráveis e os não duráveis, houve queda na produção de 0,7% em setembro ante agosto. Na comparação com setembro do ano passado a produção diminuiu 1,4%.

Para os bens intermediários, o IBGE informou que a produção caiu 1,0% em setembro ante agosto. Em relação a setembro do ano passado, houve uma queda de 2,6%. No ano, os bens intermediários tiveram aumento de 1,0%. Em 12 meses, houve elevação de 1,7% na produção.

O índice de Média Móvel Trimestral da indústria teve queda de 0,9% em setembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.