Produção industrial cai em 9 de 12 regiões pesquisadas

A produção industrial brasileira em abril caiu em nove das doze regiões pesquisadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo o instituto, os índices regionais de produção mostram em abril um quadro de resultados negativos. Isso foi provocado pelo fato de abril de 2003 ter tido dois dias úteis a menos, do que o mesmo mês em 2002. As quedas de produção mais intensas em abril, ante mesmo mês no ano passado, foram observadas em Santa Catarina (-10,0%), Pernambuco (-7,7%), Minas Gerais (-6,6%), Ceará (-5,5%) e São Paulo (-5,3%). As regiões que apresentam quedas inferiores à retração de 4,2% registrada no total da indústria brasileira, no mesmo período, foram região Sul (-3,5%), Paraná (-2,5%), Nordeste (-1,9%) e Rio de Janeiro (-0,2%). Apenas Espírito Santo (17,6%), Bahia (6,5%) e Rio Grande do Sul (0,9%) elevaram a produção, no mesmo tipo de comparação.São PauloA produção industrial de São Paulo em abril registrou queda de 5,3% ante igual mês do ano anterior. Foi a primeira queda registrada, neste tipo de comparação, desde outubro de 2002. Em abril, houve resultados negativos em treze dos dezenove setores pesquisados, com as maiores influências de material de transporte (-16,7%) e têxtil (-15,2%). O parque industrial de São Paulo, que representa quase 50% do desempenho total da indústria nacional, registra, porém, aumento na produção de 0,5% de janeiro a abril deste ano. Mas tem retração de 0,5% no acumulado dos últimos doze meses até abril. O IBGE ressalta porém que os resultados são inferiores às quedas verificadas pela indústria nacional, nas mesmas comparações. Entretanto, com o fraco desempenho do mês, a atividade industrial paulista interrompe trajetória de recuperação no ritmo produtivo, no indicador acumulado de doze meses, iniciada em outubro de 2002.No acumulado dos doze meses até março, a produção industrial paulista apresentava ganho de 0,3%, tendo passado agora para retração de 0,5% em abril, neste mesmo tipo de comparação.Espírito SantoA indústria do Espírito Santo está liderando o desempenho regional, entre as localidades do País, nos resultados acumulados do ano, com expansão de 21,8% de janeiro a abril de 2003. Segundo o IBGE, o desempenho é influenciado pelas altas de produção nos setores extrativo mineral (56,0%) e papel e papelão (53,8%), onde se destacam os itens petróleo e celulose, respectivamente. No resultado do ano, a indústria do Paraná se posiciona em segundo lugar, em termos de expansão de produção (3,9%), seguida pelo Rio Grande do Sul (3,1%). Estas duas regiões estão sendo beneficiadas pelo desempenho favorável no setor mecânico, principalmente na produção de máquinas agrícolas. Rio de JaneiroNo Rio de Janeiro, o crescimento na produção de 2,7%, de janeiro a abril, é impulsionado pela expansão na indústria extrativa mineral (3,9%). Outros resultados de expansão, no acumulado do ano, foram verificados na região Sul (1,6%), na Bahia (0,5%) e em São Paulo (0,5%). Nos resultados acumulados deste ano, as indústrias de Minas Gerais e de Santa Catarina registram as maiores quedas, respectivamente de 3,1% e de 2,9%. Nos demais locais, houve quedas em Pernambuco (-1,9%), Nordeste (-1,7%), e no Ceará (-0,5%), de janeiro a abril deste ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.