Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Produção industrial cresce em 8 de 12 locais pesquisados

A produção industrial regional do País cresceu em oito dos 12 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em março, ante igual mês do ano passado. Segundo o instituto, que divulgou a Pesquisa Industrial Mensal Regional referente a março deste ano, apesar de a produção industrial ter crescido na maioria dos locais analisados, o ritmo de crescimento é classificado como "lento". Os setores de petróleo, agroindústria e exportações sustentam alta em oito regiões em março, ante março de 2002.Na mesma comparação, as regiões que cresceram foram Espírito Santo (28,5%), Rio Grande do Sul (6,1%), Bahia (4,5%), Região Sul (3,1%), Paraná (2,0%), São Paulo (1,6%), Ceará (1,6%) e Rio de Janeiro (1,1%). No acumulado do primeiro trimestre, sete regiões registraram crescimento, enquanto que no acumulado dos últimos 12 meses, foram dez locais que elevaram sua produção, ante os 12 analisados no mês, em comparação com igual período no ano passado. ES tem melhor desempenhoNo primeiro trimestre deste ano, a produção industrial do Espírito Santo teve o melhor desempenho entre as 12 regiões pesquisadas pelo IBGE. De acordo com o instituto, a elevação da produção na região foi de 23,2% comparada com igual período no ano passado. O Estado também teve o melhor resultado entre as localidades em março, em comparação com março de 2002. Esta expansão nas duas comparações está sendo impulsionada pelos setores de extração de petróleo e pela fabricação de celulose, segundo o IBGE. No trimestre, Paraná (6,3%) obteve a segunda melhor marca, vindo a seguir Rio Grande do Sul (4,1%), ante o primeiro trimestre de 2002. Nestes dois últimos estados, as maiores contribuições positivas vieram da química e mecânica, com destaque para os itens fungicidas, herbicidas e tratores agrícolas. Também acima da média do País, que foi de 2,5% (no primeiro trimestre, ante igual período em 2002), figuraram Rio de Janeiro (3,6%), Região Sul (3,6%), Ceará (3,4%) e São Paulo (2,7%).São PauloA indústria de São Paulo, de maior peso entre as regiões do País, teve aumento de produção em quase todas as comparações da Pesquisa Industrial Mensal Regional de março deste ano. Houve altas de 1,6% em relação a março de 2002; de 2,7% no acumulado no ano até março, e de 0,3% nos últimos doze meses, ante o mesmo período imediatamente anterior. Em relação a março de 2002, a elevação na produção industrial foi causada pela expansão em nove dos 19 setores investigados. Os setores de material elétrico e de comunicações (14,3%) e mecânico (8,7%) respondem pelas maiores contribuições positivas. Já os maiores impactos negativos vêm de material de transporte (-7,0%), farmacêutica (-16,6%) e mobiliário (-38,3%). Porém, na comparação com o último trimestre de 2002, a produção no primeiro trimestre de 2003 em São Paulo apresentou desaceleração no ritmo de crescimento. Nos últimos três meses do ano passado houve expansão de 4,3% na indústria paulista, enquanto no primeiro trimestre deste ano, a alta foi de 2,7%. Segundo o IBGE, este movimento reflete a perda de ritmo em 14 setores, dos 16 pesquisados pelo Instituto, na comparação entre o primeiro trimestre deste ano e o último do ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.