Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Produção industrial de setembro cresce 5,6%

A produção industrial brasileira registrou aumento em setembro, tanto na comparação com igual período do ano passado (5,6%) quanto em relação ao mês anterior (1%), segundo divulgou o IBGE. A produção acumulou no ano até setembro aumento de 1,1%, mas ainda permaneceu negativa no indicador dos últimos 12 meses, com variação de -0,1%. O crescimento de setembro ante igual período do ano passado sofreu forte impacto da base de comparação deprimida do ano passado. Mas, de acordo com o IBGE, os índices de médias móveis trimestrais, considerados os mais eficientes para apontar a tendência dos indicadores, mostrou uma "trajetória de suave recuperação" na indústria no trimestre encerrado em setembro, que foi 0,5% superior ao terminado em agosto.Os indicadores da produção industrial de setembro apontam que o setor deixou a estagnação que marcava a atividade desde junho e passou a registrar uma "suave recuperação". O chefe do departamento de indústria do IBGE, Silvio Sales, destacou que além das exportações e dos investimentos na agroindústria, o mercado interno começou a emitir "sinais discretos" de recuperação em setembro, ante igual mês do ano passado, concentrados especialmente em automóveis (aumento de 12,6% da produção), insumos para construção civil (3%) e embalagens (3,9%). Sales sublinhou também que o aumento de 5,6% na produção industrial em setembro ante igual mês do ano anterior foi beneficiado pela base de comparação deprimida do ano passado, quando houve declínio de 1,6%, e também pelo chamado efeito calendário, já que o mês neste ano apresentou dois dias úteis a mais. Mas, para Sales, esses efeitos estatísticos não foram o único motivo para o desempenho positivo. Ele explica que houve uma "suave elevação" do patamar de produção da indústria, "condizente com a crescente redução dos estoques" do setor no decorrer do ano. Desse modo, "a demanda interna das encomendas de fim de ano encontrou a indústria com baixos estoques e isso levou a um incremento na produção". Sales considerou "de certa forma surpreendente" que a indústria tenha apresentado um crescimento de 2,6% na produção de maio para setembro. "Essa foi uma fase de dificuldades muito grandes e o setor produtivo atravessou essa situação com desempenho relativamente favorável. Nesse contexto o saldo é positivo", disse.Indústria automobilística A produção da indústria automobilística cresceu 12,6% em setembro ante igual mês do ano anterior, após oito meses consecutivos de queda. O chefe do departamento de indústria do IBGE, Silvio Sales, disse que esse bom resultado se deve especialmente a dois fatores: a deprimida base de comparação de igual mês do ano passado e, ainda, o fato de a indústria de automóveis estar com estoques baixos no momento em que houve alguma reação nas vendas no varejo. O ajuste de estoques que ocorreu no setor foi tão forte que as quedas no decorrer do ano, na comparação com iguais períodos do ano passado, foram na maior parte de dois dígitos: -13,9% em agosto; -8,8% em julho; -14,3% em junho; -21,5% em maio; -13,4% em março e -12,7% em fevereiro. Somente em janeiro houve um leve crescimento na produção do setor, de 0,3%. Sales disse que a reação do setor foi provocada sobretudo pelo aumento da demanda no mercado interno, já que apenas 20% da produção são exportados.

Agencia Estado,

07 de novembro de 2002 | 11h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.