finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Produção industrial deve crescer 1,8% em junho, prevê Ipea

A produção industrial brasileira deve crescer 1,8% em junho em relação a maio de 2005 e 6,6% em comparação do mesmo período do ano passado, de acordo com dados preliminares do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Já o crescimento acumulado no setor no primeiro semestre ficará próximo aos 5%, ante os 3% apontados no acumulado até maio. Os dados foram divulgados hoje pelo diretor de estudos macroeconômicos do Ipea, Paulo Mansur Levy, no seminário "Conjuntura Econômica", do Congresso da Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural (Sober), em Ribeirão Preto (SP).A previsão, feita a partir dos primeiros indicadores dos 13 principais setores da indústria, aponta, de acordo com Levy, a retomada do crescimento na produção fabril, iniciado no mês de maio, quando houve um aumento de 1,5% ante abril."Os dados finais devem ser divulgados na próxima semana, mas a margem de variação deverá ser bem pequena. O mais importante é que depois da desaceleração no início do ano, o crescimento foi retomado no segundo trimestre", afirmou Levy.Melhora no mercado trabalhoPara o diretor do Ipea, as perspectivas para os próximos meses são positivas no setor industrial, graças principalmente às melhorias no mercado de trabalho formal e no aumento do crédito pessoal, o que gera consumo. Já os fundamentos macroeconômicos também são positivos, na avaliação de Levy "e apontam para uma inflação em declínio e um bom desempenho do setor externo", explicou o diretor do Ipea, que prevê uma inflação em 5,5% ao final de 2005.Crise e economiaApesar de ainda não haver uma avaliação concreta e ampla do impacto da crise política na economia, o diretor entende que elas não deverão estar relacionadas. Ele admitiu, no entanto, que, sob o impacto da crise política, ocorram retardos em investimentos privados e que o Banco Central possa também adiar uma redução na taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 19,75% ao ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.