Produção industrial do Japão cresce 1,9% em julho

Vendas no varejo do Japão diminuíram 2,5% em julho na comparação com o mesmo mês de 2008

HÉLIO BARBOZA, Agencia Estado

31 de agosto de 2009 | 08h23

A produção industrial do Japão aumentou 1,9% em julho em relação ao mês anterior, marcando o quinto mês consecutivo de expansão. O dado ficou acima da média das estimativas de economistas, que apontava para um crescimento de 1,6%. A produção industrial japonesa havia apresentado aumento de 5,7% em maio e de 2,3% em junho.

Na pesquisa divulgada hoje pelo governo japonês, as empresas de manufatura, na média, disseram esperar um aumento de 2,4% na produção industrial de agosto e de 3,2% em setembro, segundo dados preliminares do Ministério da Economia, Comércio Exterior e Indústria. Os estoques diminuíram 0,2%, ante uma queda revisada de 1,1% em junho. As exportações aumentaram 2,3%, depois de uma expansão de 3,5% em junho.

Vendas no varejo

As vendas no varejo do Japão diminuíram 2,5% em julho na comparação com o mesmo mês de 2008, pois a deterioração das condições de emprego e renda reduziu os gastos dos consumidores, a despeito das medidas de alívio tributário baixadas pelo governo. Julho foi o décimo primeiro mês consecutivo de declínio, disse o Ministério da Economia, Comércio Exterior e Indústria. Em junho, o índice havia recuado 2,9%, após uma diminuição de 2,7% em maio. Os dados não são ajustados pela inflação.

As medidas de estímulo econômico do governo, que incluem programas de corte de impostos, como os incentivos para a compra de carros e de produtos eletrônicos, podem ajudar a levantar as vendas do varejo mais à frente, dizem os analistas. Mas a recuperação plena dos gastos dos consumidores pode levar tempo, em meio à diminuição da renda e do emprego, afirmam. As vendas nas lojas de departamento e nos supermercados baixaram 8,4% em relação a um ano antes, após ajustes para a mudança no número de lojas, de acordo com o ministério. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãoindústriavendas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.