Produção industrial do Japão despenca e desemprego cresce

Queda na atividade em novembro foi de 8,1%, a maior redução mensal desde o início da série histórica, em 1953

Da BBC Brasil, BBC

26 Dezembro 2008 | 06h27

A produção industrial do Japão, a segunda maior economia do mundo, teve uma queda de 8,1% em novembro, em relação ao mês anterior. Esta foi a maior redução de um mês para outro desde que o índice começou a ser registrado, em 1953, e é um reflexo da redução das atividades das empresas em resposta à queda da demanda do mercado internacional por produtos.   Veja também: Desemprego, a terceira fase da crise financeira global De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise O setor automotivo foi um dos mais afetados. A Toyota, o maior fabricante de carros do Japão, anunciou este mês que atravessa sua pior crise dos últimos 71 anos e deverá ter perdas no valor de 150 bilhões de ienes (cerca de US$ 1,7 bilhão) até o final do ano fiscal, que termina em março de 2009. Ao mesmo tempo, o índice de desemprego no país aumentou 0,2% em novembro, em relação ao mês anterior, chegando a 3,9%. Mais de 2,5 milhões de pessoas não tinham emprego no Japão em novembro. Muitas empresas tentam reter a maioria dos seus funcionários, mas os trabalhadores temporários e em turnos de meio período estão se mostrando os mais vulneráveis a dispensa. Economistas no Japão dizem que os dados sombrios sugerem que a recessão japonesa está se agravando, apesar de tentativas do governo e do banco central do país de aumentar os gastos públicos reduzindo as taxas de juros, de acordo com o correspondente da BBC em Tóquio, Duncan Bartlett.   BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.