Produção industrial do Japão sobe acima do esperado

A produção industrial do Japão subiu pelo nono mês consecutivo em novembro com fortes exportações e subsídios domésticos, mas o aumento de estoques e a queda nos salários podem ameaçar a maior ascensão em mais de 12 anos.

STANLEY WHITE, REUTERS

28 de dezembro de 2009 | 09h12

A demanda dos Estados Unidos e da Ásia contribuíram para a maior parte desse aumento de 2,6 por cento registrado no mês passado, segundo dados divulgados pelo governo nesta segunda-feira, sustentando as expectativas do Banco do Japão de que a segunda maior economia do mundo continuará sua modesta recuperação no ano que vem.

Economistas afirmam que a demanda externa deve evitar um retorno á recessão no ano que vem.

Porém, a queda nos salários e no mercado de trabalho pode superar o efeito dos subsídios concedidos pelo governo a produtos que gastam menos energia, forçando fabricantes a diminuir a produção e vender produtos em estoques que foram crescendo na esperança de melhores vendas.

"Os dados mais recentes mostram que os fabricantes de automóveis e eletrodomésticos japoneses ainda estão mantendo níveis altos de produção graças aos efeitos dos estímulos governamentais, além das fortes exportações para a Ásia", disse o economista-chefe do HSBC Securities em Tóquio, Seiji Shiraishi.

"Mas uma desaceleração no começo do ano que vem ainda é esperada, com o enfraquecimento dos efeitos dos estímulos".

Os salários no Japão caíram pelo 18o mês consecutivo em novembro ante o mesmo mês de 2008, indicando que a deflação, ou queda contínua de preços e de renda, se firmou. Isso expõe o banco central a maiores pressões do governo para que amenize ainda mais a política monetária.

A alta na produção em novembro foi a maior em seis meses e superou as previsões médias do mercado de 2,4 por cento. O índice Nikkei também fechou a sessão em seu nível máximo em quatro meses com a reação aos dados e devido às esperanças de que um iene fraco ajude os exportadores do país.

Tudo o que sabemos sobre:
MACROJAPAOINDUSTRIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.