Produção industrial do Japão tem 2º mês consecutivo de alta em abril

Aumento de 1,3%, porém, ficam abaixo da previsão para o período, de 2,7%

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

31 de maio de 2010 | 09h37

A produção industrial do Japão subiu 1,3% em abril, em termos ajustados sazonalmente, em comparação com o mês anterior, disse o Ministério da Economia, Comércio e Indústria. Este foi o segundo mês consecutivo de crescimento da produção, após a alta revisada de 1,2% em março.

O crescimento, contudo, ficou abaixo das estimativas dos analistas, uma vez que quedas sazonais acentuadas na demanda por TVs de tela plana e computadores deixaram as indústrias cautelosas em expandir agressivamente a produção. Os analistas ouvidos pela Dow Jones e pela Nikkei esperavam um aumento de 2,7% da produção em abril.

Apesar do resultado abaixo do esperado, os analistas avaliam que o apetite global por bens industriais japoneses permanece robusto, em razão de uma sólida recuperação na China, em outros países asiáticos e nos Estados Unidos, mantendo a produção industrial do Japão em um caminho firme de expansão.

O crescimento da produção abaixo do esperado foi devido principalmente à queda de 3,8% na produção de TVs de tela plana e um declínio de 18,9% na fabricação de laptops, de acordo com o ministério.

Os cortes de produção pelos fabricantes de eletrônicos foram maiores do que os economistas esperavam, uma vez que os incentivos governamentais para a compra de produtos ecológicos, tais como TVs de tela plana, foram menos generosos em abril, disse um funcionário do ministério à jornalistas.

Segundo os dados do ministério, a produção nas empresas de máquinas em geral cresceu 12% em abril, em comparação com março. A produção na indústria do petróleo e produtos de carvão registrou um crescimento de 4,2%, enquanto a do setor de produtos metalúrgicos aumentou 3,3%.

Os fabricantes de produtos manufaturados entrevistados pelo ministério previram uma alta de 0,4% para as encomendas em maio, seguida por um ganho de 0,3% em junho. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.