Produção industrial fica estável em outubro, mas tem queda de 3% no ano

Segundo dados do IBGE, em 12 meses a produção da indústria tem baixa de 2,6%

Daniela Amorim, Agência Estado

02 Dezembro 2014 | 09h07

A produção industrial ficou estável em outubro ante setembro, mas acumula queda de 3% no ano, divulgou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado de outubro veio dentro das expectativas dos analistas ouvidos pela Agência Estado, que iam de queda de 0,90% a crescimento de 1,20%, com mediana positiva de 0,30%. 

Em relação a outubro de 2013, a produção caiu 3,60%. Nesta comparação, as estimativas variavam de -1,60% a -4,30%, com mediana negativa de 2,90%. Em 12 meses, a produção caiu 2,6%.

Apesar da estabilidade de outubro, houve predomínio de resultados negativos no setor no período, segundo André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do IBGE. "Apesar da estabilidade, há claramente um predomínio de resultados negativos, com um número maior de segmentos industriais mostrando algum tipo de redução na produção", apontou Macedo.

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
'Apesar da estabilidade, há claramente um predomínio de resultados negativos, com um número maior de segmentos industriais mostrando algum tipo de redução na produção', diz André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do IBGE
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Em outubro ante setembro, houve queda na produção em 16 dos 24 ramos pesquisados. As principais influências negativas para o total da indústria foram das atividades de produtos farmacêuticos e farmoquímicos (-9,7%) e veículos automotores, reboques e carrocerias (-2,2%). Outras contribuições negativas importantes vieram de produtos de minerais não-metálicos (-2,1%), produtos de borracha e material plástico (-1,7%), couro, artigos de viagem e calçados (-3,2%), produtos do fumo (-6,2%) e bebidas (-1,3%). 

Na direção oposta, a atividade que ampliou a produção com maior impacto positivo para a média global foi produtos alimentícios (2,5%). Também contribuíram positivamente equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (4,7%), coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (0,9%) e outros equipamentos de transporte (5,0%).
Revisão. O IBGE revisou o dado da produção industrial do mês de julho ante junho, de 0,7% para 0,6%, e de junho ante maio, que passou de -1,5% para -1,4%. A produção de bens de capital também passou por revisão. A taxa de setembro ante agosto saiu de 1,9% para 0,8%, enquanto a de julho ante junho passou de 14,6% para 14,3%, e a de junho ante maio foi revista de -12,4% para -12,6%.

A produção de bens intermediários foi revisada de -1,6% para -1,7% em setembro ante agosto. A produção de bens de consumo duráveis passou de 8,0% para 7,6% em setembro ante agosto, e de -4,1% para -3,7% em agosto ante julho. 

Mais conteúdo sobre:
produçãoindústria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.