Produção industrial maior deve puxar varejo, avalia MDIC

A melhoria do desempenho da indústria é um sinal de que o consumo e o varejo no Brasil tendem a apresentar números mais favoráveis no segundo semestre deste ano, na avaliação de Maurício Lucena do Val, atual Secretário do Comércio e Serviços do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Lucena do Val assumiu o cargo como substituto a Humberto Luiz Ribeiro da Silva e participou, nesta terça-feira, 11, de evento promovido pela Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop) em São Paulo.

DAYANNE SOUSA, Agencia Estado

11 de junho de 2013 | 14h13

"Os indicadores dão conta de uma recuperação (do consumo) este ano", opinou o secretário. "A produção industrial aumentou e a indústria não cresce se não há demanda do comércio", disse. A produção industrial aumentou 8,4% em abril, ante o mesmo mês de 2012, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Os números mais recentes do varejo, porém, são ruins. Em maio, o crescimento das vendas no setor foi de 2,24% em relação a igual período do ano passado, o menor em 16 meses, segundo levantamento divulgado também nesta terça-feira, 11, pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Sistema de Proteção ao Crédito (SPC Brasil).

Inflação e câmbio

Apesar do dado, Lucena do Val aposta em um cenário mais positivo para o varejo no segundo semestre. Além de uma possível redução da pressão inflacionária, ele ponderou que o câmbio pode ser favorável, por desestimular o consumo de famílias no exterior.

O secretário ainda avaliou que o momento atual do varejo "não é resultado de uma situação brasileira, mas do contexto internacional". "Dentro dessa conjuntura internacional absolutamente negativa, a posição do Brasil é ótima e qualquer reação favorável lá fora vai repercutir primeiro aqui", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
produção industrialvarejoMDIC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.