Produção industrial mostra crescimento robusto, diz Coutinho

Para presidente do BNDES, expansão afasta temores de desequilíbrio entre a oferta e a demanda de produtos

Isabel Sobral, da Agência Estado,

05 de dezembro de 2007 | 10h56

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, disse nesta quarta-feira, 5, que os números da produção industrial divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), significam um crescimento bastante "robusto" da economia, embora contenham um efeito sazonal de preparação das empresas para atendimento das vendas no final do ano.  Na avaliação de Coutinho esse crescimento afasta preocupações de que possa haver desabastecimento ou desequilíbrio entre oferta e demanda de produtos, o que poderia resultar em um aumento da inflação. "Não temos que ter preocupação porque a evolução dos preços no atacado é tranqüila", disse Coutinho, que participou da solenidade de lançamento do PAC da Saúde, no Palácio do Planalto.  Ele não quis, no entanto, opinar sobre qual deve ser a decisão, nesta quarta, do Comitê de Política Monetária (Copom), em relação à taxa básica de juros do País, a Selic (atualmente em 11,25% ao ano), argumentando que essa é uma atribuição exclusiva do Banco Central.  Apesar disso, Coutinho avaliou que é possível o País conciliar um crescimento forte na economia com um processo de queda de juros. "E desde que haja uma clara ampliação de oferta, é perfeitamente possível a retomada do processo declinante de juros, mas não quero aqui opinar sobre qual deveria ser a intensidade e nem o timing para isso", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
Luciano CoutinhoIndústriaCopomJuros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.