Produção industrial na Argentina cresce 2,6% em outubro

A produção industrial na Argentina cresceu 2,6% em outubro sobre setembro e 16,0% em comparação com igual mês de 2002, informou a agência nacional de estatística (Indec). Ambos os dados foram sazonalmente ajustados ? descontados efeitos temporais. Em setembro, a produção industrial havia encolhido 1,4%, gerando preocupações de que a forte recuperação da crise financeira de 2002 estava se esgotando. Contudo, o resultado de outubro deve aliviar essas preocupações, pelo menos por enquanto. No período de janeiro a outubro, a produção industrial argentina acumula um crescimento de 16,8% em comparação com igual período do ano passado. A produção industrial de outubro superou a previsão dos analistas entrevistados pela Dow Jones, que estimavam um crescimento de 0,7% sobre setembro e de 14,0% em termos anuais. Negociação com credoresO governo da Argentina continuará a manter uma firme posição em sua negociação com os credores ao redor do mundo, disse o ministro da Economia, Roberto Lavagna. "Nós temos de suportar a pressão dos credores e não nos submeter", disse. A afirmação de Lavagna da posição dura do governo ocorre depois que outros funcionários da administração do presidente Nestor Kirchner sinalizaram que seriam acessíveis em ouvir a contraproposta dos credores. Grupos de portadores de bônus na Alemanha, Itália e nos EUA deram à equipe de negociação da Argentina uma recepção hostil durante a série de encontros realizado no final de outubro. Contudo, ainda não está claro até que ponto a Argentina estará disposta a afrouxar os termos de sua proposta para reestruturação da dívida, especialmente com o governo reunindo apoio público para as negociações da comunidades empresarial do país e economistas. Lavagna repetiu o mantra do governo de que a meta de superávit primário do governo em 3% não será alterado, dizendo que trata-se de "uma exigência fundamental para nos dar espaço de manobra nas negociações internacionais e na política interna". Lavagna disse que o investimento no país retornou a níveis positivos durante os últimos três meses, acompanhado por um aumento no emprego e na produção.As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.