Produção industrial recua em 10 dos 14 locais, aponta IBGE

Quedas mais acentuadas ocorrem no ES, RS e região Nordeste; SP apresenta variação negativa de 0,2%

JACQUELINE FARID, Agencia Estado

05 de dezembro de 2008 | 09h30

A produção industrial caiu em 10 dos 14 locais pesquisados pelo IBGE em outubro, na comparação com o mês anterior. As quedas mais acentuadas nessa base de comparação, abaixo da média nacional (-1,7%), ocorreram no Espírito Santo (-5,7%), Rio Grande do Sul (-5,5%) e região Nordeste (-5,1%). Houve recuo ainda, ante setembro, em São Paulo (-0,2%) Rio de Janeiro (-0,6%), Amazonas (-3,5%), Pernambuco (-3,1%), Minas Gerais (-1,9%), Santa Catarina (-2,2%) e Bahia (-3,9%). Houve aumento apenas no Pará (3,1%), Ceará (1,3%), Paraná (1,2%) e Goiás (2,5%).       Veja também: Vendas da indústria recuam 0,2% em outubro, aponta CNI Produção industrial tem maior queda em 12 meses desde 2005 Crise afetará produção da indústria em 2009, diz economista Desemprego, a terceira fase da crise financeira global Entenda a disparada do dólar e seus efeitos Dicionário da crise    Os técnicos do IBGE observam no documento de divulgação da pesquisa que "vale mencionar que o mês de outubro, embora com um dia útil a mais que outubro de 2007, está marcado por quedas importantes em setores que concederam férias coletivas não planejadas ou efetuaram paralisações técnicas não programadas, num contexto de aumento da incerteza no ambiente econômico internacional".   Além disso, o relatório aponta: "A influência desses fatores fica evidente no confronto entre o ritmo de produção do período julho-setembro com o de outubro: todos os locais, à exceção do Pará, mostraram perda de ritmo entre os dois períodos".  Outubro de 2007 A produção industrial aumentou em 10 dos 14 locais pesquisados pelo IBGE em outubro na comparação com igual mês do ano passado, com destaque para o Pará (8,9%). As indústrias de Goiás (4,2%), Paraná (3,9%), Ceará (2,9%), São Paulo (2,5%), Pernambuco (2,2%), Amazonas (2,0%), Rio Grande do Sul (1,7%) e Minas Gerais (1,2%) também registraram taxas superiores à média nacional (0,8%), enquanto o Rio de Janeiro (0,3%) também registrou expansão, mas abaixo da média. Nessa comparação, os locais com recuo na produção foram: região Nordeste (-3,3%), Espírito Santo (-2,7%), Santa Catarina (-2,4%) e Bahia (-0,6%).   São Paulo   A produção industrial de São Paulo apresentou variação negativa de 0,2% em outubro, comparativamente ao mês anterior, na série ajustada sazonalmente, após aumentar 0,9% em setembro nessa base de comparação. O índice de média móvel trimestral (-0,4%) apresentou o segundo resultado negativo consecutivo no Estado, que responde por cerca de 40% da produção do País.Na comparação com igual mês do ano passado, o acréscimo de 2,5% em São Paulo ficou abaixo da taxa de setembro (7,9%). No acumulado no ano, o avanço da produção foi de 8% e em 12 meses, também de 8,0%. Em relação a outubro de 2007 (2,5%), 10 das 20 atividades pesquisadas contribuíram positivamente para a formação da taxa geral, enquanto em setembro eram 16 ramos com taxas positivas.Os principais destaques, em termos de participação, foram: farmacêutica (37,9%), outros equipamentos de transporte (121,1%) e máquinas e equipamentos (7%). Por outro lado, refino de petróleo e produção de álcool (-17,3%), outros produtos químicos (-12,7%), ambos influenciados por paralisações técnicas, e alimentos (-7,7%) foram os impactos negativos mais significativos sobre a média global, influenciados, sobretudo, pelos recuos assinalados na produção de óleo diesel; etileno não-saturado; e açúcar cristal.

Tudo o que sabemos sobre:
indústriaIBGE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.