Washington Alves / ESTADÃO
Washington Alves / ESTADÃO

Produção industrial sobe 0,1% em fevereiro ante janeiro

Automóveis e máquinas e equipamentos puxaram a alta; mas no acumulado de 12 meses a produção da indústria acumula recuo de 4,8%

Daniela Amorim, Broadcast

04 de abril de 2017 | 09h10

RIO - A produção industrial subiu 0,1% em fevereiro ante janeiro, na série com ajuste sazonal, divulgou nesta segunda-feira, 4, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A produção industrial cresceu em 13 das 24 atividades investigadas em fevereiro ante janeiro. 

Em relação a fevereiro de 2016, a produção caiu 0,8%. Nessa comparação, sem ajuste, as estimativas variavam de retração de 1,70% a avanço de 2,00%, com mediana positiva de 0,40%.

No ano, a indústria teve alta de 0,3%. No acumulado em 12 meses, a produção da indústria acumulou recuo de 4,8%.

O resultado veio dentro das expectativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam desde uma queda de 0,30% a uma expansão de 1,40%, com mediana positiva de 0,70%.

Atividades.  Os principais impactos positivos foram registrados por veículos automotores, reboques e carrocerias (6,1%) e máquinas e equipamentos (9,8%), que reverteram os recuos observados no mês anterior: de -8,4% e -6,1%, respectivamente.

"Muito do crescimento de 7,1% na produção de bens duráveis em fevereiro ante janeiro, vem da indústria automobilística, notadamente automóveis. Embora não se possa descartar também a expansão na produção de eletrodomésticos de linha marrom e linha branca", apontou André Macedo, gerente na Coordenação de Indústria do IBGE.

Outros destaques positivos sobre o total nacional (0,1%) foram as atividades coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (2,0%), de produtos de metal (4,0%), de máquinas, aparelhos e materiais elétricos (4,8%) e de confecção de artigos do vestuário e acessórios (3,4%).

Na direção oposta, entre os onze ramos que reduziram a produção em fevereiro, o desempenho de maior importância para a média global foi de produtos alimentícios (-2,7%), que interrompeu dois meses consecutivos de expansão, período em que acumulou ganho de 1,8%.

Outras contribuições negativas relevantes foram de perfumaria, sabões, produtos de limpeza e de higiene pessoal (-3,7%), de celulose, papel e produtos de papel (-5,6%), de metalurgia (-1,9%) e de indústrias extrativas (-0,5%). Essas atividades vinham de taxas positivas em janeiro de 2017: 0,2%, 3,2%, 1,6% e 1,0%, respectivamente.

Bens de capital. A produção da indústria de bens de capital subiu 6,5% em fevereiro ante janeiro. Na comparação com fevereiro de 2016, o indicador mostrou avanço de 2,9%. Os dados fazem parte da Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física (PIM-PF). No ano, houve crescimento de 3,7% na produção de bens de capital. No acumulado em 12 meses, a taxa ficou negativa em 5,2%.

Bens de consumo. Em relação aos bens de consumo, a pesquisa registrou alta de 0,9% na passagem de janeiro para fevereiro. Na comparação com fevereiro de 2016 houve avanço de 1,4%. No ano, a produção de bens de consumo subiu 1,7%. No acumulado em 12 meses, entretanto, houve redução de 4,3%.

Na categoria de bens de consumo duráveis, o mês de fevereiro foi de aumento de 7,1% ante janeiro e alta de 19,8% em relação a fevereiro de 2016, o maior resultado desde fevereiro de 2014, quando a produção tinha crescido 23,3%. Entre os semiduráveis e os não duráveis, houve recuo na produção de 1,6% em fevereiro ante janeiro e queda de 2,5% na comparação com fevereiro do ano passado.

Bens intermediários. Para os bens intermediários, o IBGE informou que o indicador teve alta de 0,5% em fevereiro ante janeiro. Em relação a fevereiro do ano passado houve redução de 2,5%. No ano, os bens intermediários acumularam queda de 0,8%. Em 12 meses, a redução foi de 4,9% na produção.

O índice de Média Móvel Trimestral da indústria apontou avanço de 0,8% em fevereiro.

Mais conteúdo sobre:
Ibge

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.