Produção industrial tem crescimento zero em julho

A produção industrial do País ficou estagnada em julho com crescimento zero em relação ao mês anterior. Na comparação com igual mês do ano passado, entretanto, houve aumento de 3,3%, bem superior ao 0,7% registrado em junho em relação a junho do ano passado. A produção do setor acumula no ano até julho um crescimento de 0,4% e, em 12 meses, uma queda de 0,8%. O chefe do Departamento de Indústria do Instituto, Silvio Salles, observou que os índices de médias móveis trimestrais considerados o principal indicador de tendência, permanece declinante. O trimestre encerrado em julho aponta, segundo o IBGE, um queda de 1,5% em relação ao trimestre terminado em junho.O crescimento da produção física de de 3,3% em julho sobre o mesmo período do ano passado ficou próximo do teto das estimativas do mercado, que projetava um crescimento entre 1,5% e 3,8%. As previsões feitas pelo mercado tomavam como base de cálculo o desempenho de dois importantes indicadores antecedentes, a produção siderúrgica, que cresceram em torno de 30% sobre julho do ano passado e a produção de papel ondulado, que superou em 2,94% a produção de julho de 2001. Também entrou na base de cálculo do mercado a produção da indústria automotiva, que registrou incremento de 6,8% na mesma comparação. Além da evolução dos principais indicadores antecendentes da produção industrial, os analistas consideraram também a fraca base de comparação do setor em julho do ano passado, quando inciava-se no Brasil o racionamento de energia elétrica, que inibiu a produção da indústria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.