Produção no pré-sal está abaixo da expectativa

A área do pré-sal está produzindo 300 mil barris de petróleo por dia, muito menos que o previsto. E no plano nacional a produção está apática. A OGX, segunda mais importante companhia do setor, pediu falência em outubro. Muitos dos poços secaram.

O Estado de S.Paulo

08 de janeiro de 2014 | 02h08

Apesar dos retrocessos, Maria das Graças Foster diz que a Petrobrás em breve terá novas plataformas operando na área do pré-sal, o que aumentará de modo significativo a produção no próximo ano e vai gerar receita para financiar novos investimentos. Em outubro, ela afirmou que 144 poços em fase de exploração foram perfurados na área do pré-sal e em 82% deles foi encontrado petróleo.

No mesmo mês o governo leiloou o campo de Libra. Um consórcio de empresas incluindo a Royal Dutch Shell, a francesa Total e duas gigantes chineses ganhou licença para se associar à Petrobrás no desenvolvimento do campo. "É difícil imaginar sucesso maior do que este", disse Magda Chambriard, diretora da ANP.

Inicialmente, no entanto, ela esperava a participação de mais de 40 empresas. Só 11 se apresentaram e nem a metade delas ofereceu algum lance.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.